Garanta 40% de desconto
🚨 Mercados voláteis? Descubra joias escondidas para lucros extraordináriosDescubra ações agora mesmo

PETR4: Os dois lados da pressão sobre a Petrobras

Publicado 01.02.2023, 11:31
Atualizado 09.07.2023, 07:32

Os riscos para a Petrobras (BVMF:PETR4) aumentaram, tanto internacionalmente (restrição da oferta) quanto internamente (político).

No mercado doméstico, existe a perspectiva do fim da desoneração dos impostos federais sobre o setor.

No cenário externo, novas sanções da União Europeia à Rússia, previstas para o começo de fevereiro, tendem a restringir a oferta de commodities de energia no mercado global, o que pode contribuir para uma alta das cotações. 

Desoneração de combustível

No cenário interno, o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, que assumiu o cargo na quinta-feira, 26, terá que lidar no curto prazo com: (i) o futuro dos impostos sobre a gasolina e o etanol, reduzidos por Jair Bolsonaro (PL) em 2022 e mantidos por 60 dias pelo novo governo, (ii) a política de preços da Petrobras; (iii) e como irá prosseguir a venda das refinarias da estatal, determinada em acordo entre a empresa e o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica, órgão responsável pela defesa da livre concorrência).

Em relação à prorrogação da desoneração da gasolina e do etanol, a medida provisória vai até fevereiro e do diesel e gás de cozinha até dezembro.

Novas sanções à Rússia

No cenário internacional, a Opep+ espera para analisar o efeito total do impacto das novas sanções da União Europeia à Rússia, devido à invasão da Ucrânia.

Ao mesmo tempo, a reabertura total da China, depois de três anos de restrições rígidas da política de “Covid zero” no país, aumentou o otimismo para a demanda de energia chinesa.

 

 Incertezas econômicas e movimento do câmbio pressionam preços do petróleo para território negativo

Incertezas mantêm preços do petróleo sob volatilidade em 2023. Fonte: Bloomberg

Defasagem nos preços

 

A Petrobras, que atualmente segue a política de paridade de importação (PPI), anunciou em 24 de janeiro de 2023 o aumento no preço da gasolina para as distribuidoras.

O preço médio de venda de gasolina A da Petrobras para as distribuidoras passou em 25 de janeiro de 2023 de R$ 3,08 para R$ 3,31 por litro, um acréscimo de R$ 0,23 por litro, ou de 7,5%.

Segundo a Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), apesar do reajuste, a gasolina ainda está cerca de 14% mais barata no Brasil do que o necessário para deixá-la em patamar equivalente ao mercado internacional.

Portanto, o melhor caminho seria aproximar os preços domésticos do mercado internacional. Contudo, isso pode ter custos políticos e de popularidade para o novo governo, uma vez que o fim da desoneração impacta na arrecadação e o reajuste dos combustíveis impacta na inflação, o que pode ser um problema para o início deste governo.

 

Lei das Estatais

Outro principal temor no radar dos investidores se refere a uma eventual mudança na Lei das Estatais (13.303/2016) e no estatuto da Petrobras.

A Petrobras não está totalmente protegida contra interferências pelo seu estatuto. O fim da desoneração de combustível e o reajuste de preços possuem custos políticos altos. Portanto, existe a possibilidade de uma mudança na Lei das Estatais.

Com a alteração na lei, o governo teria mais facilidade para alterar a política de preços da Petrobras e para nomear políticos para cargos nos conselhos e na diretoria de empresas públicas, o que seria um grande retrocesso para a política fiscal no país.

Ademais, vale mencionar que, sem o PPI, a Petrobras seria obrigada a operar com pressão nas margens, o que impactaria sua rentabilidade e lucratividade. O grau do impacto dependerá do tamanho da defasagem dos preços.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Últimos comentários

Uma correção: o fim da desoneração TAMBEM impacta na inflação. Ou vamos achar que não haverá repasse imediato? Os analistEs que tem feito projeção de inflação abaixo de 6.0% são malucos ou nunca entraram num supermercado.
Weladian Ronan. Isso mesmo. Ser acionista da Petrobras não serve pra nada. Rs... Não entendo por querem tanto privatizar... Venda sua parte!!!
Doutor, tem que diz tem que dizer assim. A Petrobrás e seus acionistas têm que engordar o seu lucro com o preço do petróleo nas alturas enquanto as pessoas, sem ter dinheiro suficiente, pagam tudo mais caro, combustível, frete, alimentos, para a Petrobrás e seus acionistas engordarem seu lucro! A inflamação sobe, O,Mercado exige menos gastos do governo, que aperta a economia e as pessoas, que já tem pouco dinheiro a ficarem com menos dinheiro ainda... tudo isso para manter a Petrobrás e seus acionistas blindados e continuar a lucrar como nunca antes neste país e pretensamente diminuir a inflação. Olha os dividendos aí gente, para seu acionistas!
Caro colega, vc fala como se os acionistas fossem as pessoas mais ricas desse país. Basta vc ter R$ 26,00, abrir uma conta gratuita numa corretora e já será acionista da Petrobrás. E dividendos é pura ilusão, é abatido do valor da sua ação e ainda é descontado IR. Se hoje a ação vale R$ 26,00 e for pago R$ 1,00 de dividendos hoje, amanhã ela abrirá o pregão valendo R$ 25,00.
você tem razão Chicão. os acionistas são uns carniceiros, melhor fecharem a Petrobrás, vender as propriedades e aplicar tudo em renda fixa. Deixa o país importar o combustível de um outro país qualquer. isso sim vai fazer o combustível ficar de graça e vai impedir que os acionistas carniceiros ganhem rios de dinheiro, já que esses acionistas são entidades malignas que nunca trabalharam p ganhar o que tem, só participam dos lucros e prejuízos eles não levam pra casa e ninguém paga.
Isso, não serve pra nada ser acionista da Petrobras. Não entendo por querem privatizar... RS. Venda sua parte!!!
Doutor, tem que dizer assim, a redução dos impostos para em sequência diminuir os preços dos combustíveis foi apenas, apenas para o Bolso ganhar a eleição que, felizmente, não aconteceu e geriu uma deflação artificial e ao mesmo tempo os alimentos na BolsoCaro subiam, subiam na maior caruda.
Lulista engraçado 🤣🤣🤣
Vão assaltar de novo. É só esperar
pois é 😳o dinheiro que está sendo devolvido a petrobras é doação por livre espontânea diminuição do tempo de reclusão
muita manipulação
Embora o comentarista tenha falado o obvio, e nem por isso há demérito em seu comentário, os pontos que ele anota sao rigorosamente os mesmos para o governo L ou para o B. Afinal, ambos ja demonstraram, nas suas praticas politicas, o pouco caso com a PPI (paridade de preços internacionais). Nao se deve olvidar, no ebtanto, que o maior beneficiário das distribuições elevadas de resultados é o proprio governo federal (possui aproximadamente 37% das ações da empresa), e tal condição pode ser vital na ajuda com o fechamento das contas publicas (como o foi no governo anterior, onde a “indignação” com supostos lucros escorchantes dava lugar a risos de alegria com a entrada de recursos extraordinários no caixa do Tesouro).
Sim……mas o atual governo está preocupado com os companheiros
A cambadinha elegante da Faria Lima, vai voltar a andar à pé, pois as demissões serão grandes. Faz o L
3R Petroleum ON Morgan Stanley, Itaú, Safra reiteram recomendação overweight (equivalente à compra) para a petrolífera, com o preço-alvo de R$ 90  representando um potencial de alta de 151,9% frente preço de fechamento da véspera Agora, BBI aponta que o único ativo pendente de fechamento é o Potiguar, que deve elevar ainda mais a produção da empresa para 45 mil bpd, tornando a 3R Petroleum uma das maiores do Brasil 10 maiores produtores de petróleo. A 3R Petroleum (BVMF:RRRP3) surpreendeu o mercado com dados fortes de produção em dezembro – mostrando seu potencial de crescimento na reta final de 2022.
vendam esse antro de ladrões, por favor
E qual a surpresa ? Facam o L
como se faz isso agora, mensagem idiota
Esse comentarista esta comprado em petr. Que site nojento
Cenário econômico político do país não são os dos melhores a expectativa também do mercado externo tende-se a ser afetado pela crise econômica e política dos países asiáticos como Rússia e Ucrânia
Vão assaltar de novo. É só esperar
Nao sao loucos… para assaltar dessa vez, vai ser complicado… cheio de olheiro interno e vai para o impeachment … já era de vez… já está pagando bilhoes pela bandelheira deles no desgoverno deles… (nine e estocadora de vento)
Embora o comentarista tenha falado o obvio, e nem por isso há demérito em seu comentário, os pontos que ele anota sao rigorosamente os mesmos para o governo L ou para o B. Afinal, ambos ja demonstraram, nas suas praticas politicas, o pouco caso com a PPI (paridade de preços internacionais). Nao se deve olvidar, no ebtanto, que o maior beneficiário das distribuições elevadas de resultados é o proprio governo federal (possui aproximadamente 37% das ações da empresa), e tal condição pode ser vital na ajuda com o fechamento das contas publicas (como o foi no governo anterior, onde a “indignação” com supostos lucros escorchantes dava lugar a risos de alegria com a entrada de recursos extraordinários no caixa do Tesouro).
Lula não é burro, só que não é confiável, o seu passado o condena. Só um seguidor ferrenho ignorar isso.
Nao vai acontecer nada .Imagina,o preco do pretoleo sobe a a acao cai.Puro terrorismo..Alias vcs tem falado nisso desde Outubro..O Lula nao e burro..Vai se aproveitar dos altos dividendos pois precisa pra melhoria do Fiscal..
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.