Últimas Notícias
0

Três Fatores Podem Impulsionar os Preços do Petróleo e do Gás em 2019

Por Investing.com (Ellen R. Wald, Ph.D.)Commodities08.11.2018 08:20
br.investing.com/analysis/tres-fatores-podem-impulsionar-os-precos-do-petroleo-e-do-gas-em-2019-200223634
Três Fatores Podem Impulsionar os Preços do Petróleo e do Gás em 2019
Por Investing.com (Ellen R. Wald, Ph.D.)   |  08.11.2018 08:20
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Artigo publicado originalmente em inglês no dia 8/11/2018

Nesta semana ocorreram muitos eventos importantes para o petróleo e o gás que impactarão os mercados durante o resto deste ano e em 2019.

1. Sanções iranianas

Na segunda-feira, 5 de novembro, entraram em vigor novas sanções dos EUA aos bancos e à indústria petrolífera do Irã. Como esperado, os Estados Unidos concederam isenções a alguns exportadores do petróleo iraniano. Isso permitirá que esses países continuem adquirindo petróleo do Irã por um período de 180 dias. As chamadas Isenções de Redução Significativa foram concedidas a determinados importadores, que fizeram uma requisição e puderam mostrar que houve redução na quantidade de petróleo e condensado que estavam adquirindo do Irã.

O que sabemos dessas isenções até agora:

  • Coreia do Sul terá permissão para importar 4 milhões de barris de condensado do Irã por mês (130.000 bpd). É uma queda em relação à máxima anterior do país de 8 milhões de barris por mês, mas reflete um aumento em relação às suas importações de setembro e outubro do Irã, que estavam em nível zero ou próximas a isso.
  • Índia terá permissão para importar até 300.000 de barris por dia. Para referência, o país importou cerca de 363.000 bpd em outubro, de acordo com o site TankerTrackers.com e em média 560.000 bpd no acumulado de 2018, de acordo com o periódico Times of India.
  • China, maior importadora de petróleo iraniano, recebeu uma isenção para importar 360.000 bpd. Essa isenção exige ainda que a China reduza significativamente suas importações – algo entre 658.000 bpd e 759.000 bpd – de acordo com diferentes fontes.
  • Turquia também recebeu uma isenção, mas não está clara a quantidade permitida. A Turquia importou menos de 100.000 bpd do Irã em outubro, mas o presidente Erdogan declarou recentemente que o país não honrará as novas sanções ao Irã. As empresas turcas, no entanto, podem ter um posicionamento diferente.
  • Itália, Japão, Taiwan e Grécia também receberam isenções, mas nãoe está clara a quantidade, nem se esses países decidirão importar o petróleo iraniano. O Iraque também recebeu uma isenção para continuar adquirindo gás e eletricidade do Irã.

O presidente Trump declarou a repórteres na quarta-feira que emitiu essas isenções com base em solicitações de alguns países e também porque não queria que houvesse uma alta nos preços do petróleo. Ao que parece, as isenções cumpriram com seu objetivo, aliviando temores de que os mercados de petróleo pudessem sofrer uma escalada de preços para US$ 100 por barril ou até mais que esse valor. Entretanto, quando os 180 dias terminarem, os mercados de petróleo poderão se agitar caso o governo Trump permaneça firme com a sua retórica linha-dura com o Irã.

2. Produção de petróleo nos EUA

A produção de petróleo americano continua em ascensão. Na semana passada, a EIA registrou uma produção recorde de 11,3 milhões de barris por dia em agosto. Os relatórios semanais (que combinam a produção e as projeções relatadas) indicam que os EUA estão produzindo muito mais petróleo neste momento. De fato, os últimos números sinalizam que, até meados de 2019, os Estados Unidos podem produzir mais de 12 milhões de barris de petróleo por dia. Além disso, os eleitores do Colorado rejeitaram um referendo para limitar o fraturamento a certas distâncias de áreas “vulneráveis". Esse resultado é amplamente considerado como uma vitória para a indústria do petróleo de shale e indica que haverá mais crescimento nessa região.

3. Opep

Possivelmente, o único fator capaz de elevar os preços do petróleo nos próximos meses é a Opep. O Comitê de Monitoramento Ministerial Conjunto (JMMC, na sigla em inglês) se reunirá na próxima semana em Abu Dábi. Antes dessa reunião, a Opep dá sinais de que pode voltar a exigir o cumprimento mais rígido do seu acordo de produção. Neste momento, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos e Rússia elevaram sua produção para compensar declínios involuntários em outros países, de modo a fazer com que o compliance geral do grupo chegue a 100%. O JMMC levará em consideração as projeções de oferta e demanda em 2019 nessa reunião e pode fazer uma recomendação sobre a posição do grupo de manter, cortar ou aumentar a produção de petróleo na reunião da Opep e Opep+ em dezembro.

O Irã, evidentemente, gostaria que outros membros da Opep parassem de exceder suas alocações de abastecimento para que houvesse uma elevação dos preços, mas a Arábia Saudita e a Rússia provavelmente não vão ceder à pressão iraniana. A Arábia Saudita sinaliza que pode ajustar os níveis de produção para garantir que o mercado não fique supersaturado novamente, mas cortar a produção nunca é uma tarefa simples. A Rússia já está dizendo que planeja produzir mais petróleo nos próximos meses, e a maneira como a Arábia Saudita estruturou o grupo Opep+ indica que qualquer iniciativa para congelar ou limitar a produção de petróleo exigirá o apoio russo.

Três Fatores Podem Impulsionar os Preços do Petróleo e do Gás em 2019
 

Artigos Relacionados

Três Fatores Podem Impulsionar os Preços do Petróleo e do Gás em 2019

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias ou ataques pessoais dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários
Rob Dias
Rob Dias 12.11.2018 5:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Excelente e detalhada avaliação sobre os acontecimentos no mundo do petróleo! Parabéns!
Responder
1 1
Fernando Cappio
Fernando Cappio 10.11.2018 18:11
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Análise muito interessante sobre petróleo. Esclarece-nos, quanto a tomada de decisão em trades nos próximos meses. Parabéns !
Responder
0 0
Gil Leôncio Duarte
Gil Leôncio Duarte 08.11.2018 12:34
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Analise preciso do mercado de commodities petroleum . Contratulations!!!
Responder
0 0
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Registrar-se com Google
ou
Registrar-se com o e-mail