Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quinta-feira

Publicado 16.05.2024, 04:44
© Reuters
US500
-
DJI
-
CVX
-
EWZ
-
USD/BRL
-
AMZN
-
XOM
-
WMT
-
PBR
-
IBM
-
VZ
-
CB
-
LCO
-
CL
-
1YMU24
-
NQU24
-
BRKb
-
IXIC
-
BVSP
-
PETR3
-
PETR4
-
AMZO34
-
BTC/USD
-
C1BL34
-
US500
-

Por Scott Kanowsky e Jessica Bahia Melo

Investing.com – Os futuros das ações dos EUA registravam alta nesta quarta-feira, 16, antes da abertura das Bolsas em Nova York, estendendo a recuperação de ontem em Wall Street, desencadeada por dados que mostram uma desaceleração da inflação no mês passado. As apostas de que o Federal Reserve (Fed, banco central americano) poderia realizar duas reduções de juros este ano foram reforçadas pelo relatório, embora os analistas tenham observado que o banco provavelmente precisará ver mais provas de que o crescimento dos preços está voltando ao seu nível-alvo.

No cenário corporativo, a rede de lojas de departamento Walmart deve apresentar seus últimos resultados trimestrais na quinta-feira, enquanto as ações da Chubb subiram após o horário regular do pregão, com a informação de que a Berkshire, de Warren Buffett, havia investido na seguradora.

Aqui no Brasil, nova presidente da Petrobras recebe do governo missão de acelerar investimentos e gerar empregos.

Como saber onde investir para continuar ganhando dinheiro em mercados voláteis? Experimente o InvestingPro e descubra! Clique AQUI, escolha o plano que deseja por 1 ou 2 anos e aproveite seus DESCONTOS. Obtenha até cerca de 50% aplicando o código OFERTAPRO. Não espere mais!

1. Futuros em alta; Bitcoin avança em meio à queda do dólar americano

Os futuros de ações dos EUA subiam na quinta-feira, após um recorde de alta na sessão anterior, impulsionados por um relatório mensal de inflação mais leve.

Às 8h, o contrato Dow futures se valorizava 0,06%, o S&P 500 futures subia 0,11% e o Nasdaq 100 futures registrava alta de 0,13%.

Os dados divulgados na quarta-feira mostraram que o crescimento dos preços ao consumidor desacelerou, conforme previsto, para 3,4% em termos anualizados em abril, aumentando as expectativas de que o Federal Reserve começará a reduzir as taxas de juros, após mais de duas décadas de altas, ainda este ano. Os investidores já precificaram dois cortes para 2024, comparado a apenas um no início desta semana.

As ações dispararam após o relatório, com o índice de referência S&P 500 subindo 1,2%, o índice de alta tecnologia Nasdaq Composto ganhando 1,4% e o índice de 30 ações Dow Jones Industrial Average avançando 0,9%. O rendimento do Tesouro dos EUA de 2 anos, sensível às taxas, que normalmente se move de forma inversa aos preços, atingiu temporariamente sua marca mais baixa desde o início de abril, enquanto o dólar enfraqueceu para mínimos de várias semanas em relação a outras moedas.

O Bitcoin subia na quinta-feira, impulsionado pela queda do dólar, embora a criptomoeda tenha permanecido dentro de uma faixa, já que o sentimento em relação ao mercado cripto permaneceu moderado.

A maior criptomoeda do mundo subiu 5% nas últimas 24 horas, para US$ 66.160,0. O token chegou a atingir US$ 66.600, antes de perder algum impulso. Ele havia caído para US$ 60.000 no início da semana.

Os analistas destacaram que a taxa anual de inflação ainda estava bem acima da meta de 2% do Fed, enquanto várias autoridades do banco central alertaram recentemente que precisarão de muito mais confiança de que os preços estão se flexibilizando de forma sustentável antes de reduzirem as taxas.

Essa percepção limitou ganhos significativos no Bitcoin, mantendo a criptomoeda negociada confortavelmente dentro de uma faixa de US$ 60.000 a US$ 70.000 estabelecida nos últimos dois meses. O desempenho também ocorre em meio à estagnação dos fluxos de capital e da atividade de negociação em fundos negociados em bolsa à vista, que foram os principais impulsionadores da recuperação do Bitcoin em março.

ACOMPANHE: Cotações das criptomoedas

2. Balanço do Walmart

O Walmart (NYSE:WMT) deve ser o destaque do calendário de lucros na quinta-feira, enfrentando forte concorrência para atrair os americanos preocupados com os custos a comprar seus itens de baixo preço. Os gastos com varejo online nos EUA aumentaram 7% entre janeiro e abril, em grande parte devido à alta demanda por mercadorias mais baratas durante um período de inflação elevada, conforme relatório da Adobe Analytics na semana passada. Embora essa tendência deva ser favorável para o Walmart, empresas de comércio eletrônico como a Amazon (NASDAQ:AMZN) e a Temu do PDD Group estão oferecendo alternativas para os consumidores que buscam pechinchas em produtos como eletrônicos e roupas.

Enquanto isso, o Walmart está reabastecendo seus estoques em um ritmo mais lento do que seus concorrentes, informou a Reuters, citando dados da LSEG. Altos níveis de estoque podem aumentar os custos e prejudicar as margens de lucro. Ainda assim, as ações da empresa subiram 12,7% até agora neste ano e estão sendo negociadas a cerca de 25 vezes o lucro esperado, um sinal de que os investidores acreditam que a empresa apresentará resultados trimestrais sólidos. A divulgação dos lucros antes da abertura do mercado na quinta-feira poderá testar esse otimismo.

ACOMPANHE: Cotações das ações americanas

3. Chubb sobe após investimento da Berkshire Hathaway

A Berkshire Hathaway (NYSE:BRKb), de Warren Buffett, revelou na quarta-feira que adquiriu uma participação de US$ 6,72 bilhões na Chubb Ltd (NYSE:CB), levando as ações da seguradora a atingirem recordes de alta nas negociações pós-mercado. A Chubb subiu 7,5% após o fechamento, alcançando um recorde de US$ 271,84, depois que a Berkshire informou, em um documento, que possuía 25,9 milhões de ações da empresa em 31 de março.

A Berkshire começou a comprar ações da Chubb no terceiro trimestre de 2023 e recebeu permissão da Comissão de Valores Mobiliários para manter a compra temporariamente confidencial. O conglomerado havia obtido permissões semelhantes para suas aquisições da Chevron Corp (NYSE:CVX), da Exxon Mobil Corp (NYSE:XOM), bem como da International Business Machines (NYSE:IBM) e da Verizon Communications (NYSE:VZ). A Chubb registrou fortes lucros no primeiro trimestre de 2024, com prêmios brutos ultrapassando US$ 14 bilhões e o lucro líquido subindo de US$ 4,54 no ano passado para US$ 5,23.

4. Petróleo oscila após dados de inflação e estoques

Os preços do petróleo apresentavam oscilações na quinta-feira, após a divulgação da inflação ao consumidor dos EUA e um aumento maior do que o esperado nos estoques americanos.

Às 8h, o barril do Texas (WTI), referência nos EUA, caía 0,10%, a US$ 78,55 por barril, enquanto o do Brent recuava 0,17%, para US$ 82,61, no mercado futuro.

Os dados de inflação reforçaram a perspectiva de taxas de juros mais baixas, potencialmente impulsionando a futura atividade econômica global e, consequentemente, a demanda por petróleo.

Os dados oficiais de quarta-feira também mostraram que os estoques de petróleo dos EUA encolheram 2,5 milhões de barris a mais do que o esperado na semana até 10 de maio, aumentando as esperanças de que a demanda esteja melhorando no maior consumidor de combustível do mundo, especialmente com a aproximação da movimentada temporada de verão.

CONFIRA: Cotação das principais commodities

5. Mercado repercute possíveis mudanças na gestão da Petrobras

Assim como no pós-mercado na noite do anúncio, as ações da Petrobras (BVMF:PETR4) despencaram no pregão de ontem, em repercussão ao anúncio da troca da presidência da estatal de petróleo. Apesar de um nome considerado com capacidade técnica, analistas de grandes bancos e instituições financeiras enxergaram maior volatilidade para os papéis no curto prazo, diante de uma percepção de clara interferência do governo.

Magda Chambriard, que será a nova gestora, recebeu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a missão de acelerar investimentos na empresa, para que a Petrobras gere empregos e renda no país, informou a agência de notícias Reuters.

Chambriard é engenheira e ex-diretora-geral da reguladora Agência Nacional de Petróleo (ANP) durante o governo de Dilma Rousseff (PT). A executiva é vista como mais alinhada ao pensamento do atual governo, pois Lula quer que a Petrobras volte a ser um importante motor da economia brasileira, em temas que vão desde a indústria naval a áreas de refino e fertilizantes.

Às 8h (de Brasília), as ADRs da Petrobras (NYSE:PBR)recuavam 1,03% no pré-mercado.

O ETF EWZ (NYSE:EWZ) subia 0,13%.

**

Precisa de ajuda para navegar nos mercados? InvestingPro é para você!

Seja você busca conquistar orientações sobre investimentos ou procura por ferramentas que permitam escolher as ações corretas do Ibovespa ou dos mercados globais por conta própria, o InvestingPro tem algo a oferecer.

Você encontrará estratégias de IA, indicadores exclusivos, dados financeiros históricos, notícias profissionais e muitos outros serviços para sempre manter uma vantagem nos mercados e saber quais ações comprar e quais evitar.

E os leitores de nossos artigos têm por tempo limitado um desconto especial nas assinaturas.

Inscreva-se agora! E não esqueça o código promocional "OFERTAPRO", válido para assinaturas Pro e Pro+ de 1 e 2 anos!

Recursos do InvestingPro - Use o cupom INVESTIR para um desconto adicional





Veja como aplicar o cupom no vídeo abaixo:



Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.