Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Publicado 26.06.2023, 12:58
Atualizado 26.06.2023, 07:59
© Reuters.

Por Peter Nurse e Marianne Paim

Investing.com --  Os mercados globais seguem atentos ao curto motim russo.  Até o momento, o mercado de petróleo tem aceitado bem o episódio, tendo devolvido a maior parte dos ganhos iniciais. Além disso, a Tesla está sob pressão após outro rebaixamento, desta vez feito por Goldman Sachs, enquanto a economia alemã mostra mais sinais de fraqueza. No Brasil, um estudo aponta que a reforma tributária pode resultar em aumento de impostos em diversos setores do comércio e serviços. 

1. Reação silenciosa do mercado à turbulência russa

O motim ocorrido no fim de semana na Rússia pelo Grupo Wagner de mercenários, liderado por Yevgeny Prigozhin, parece ter sido de curta duração, mas ainda gerou uma grande confusão sobre o que acontecerá em seguida em uma das maiores potências nucleares do mundo.

Os combatentes wagnerianos interromperam seu rápido avanço sobre Moscou no final do sábado, e Prigozhin foi transferido para Belarus quando o presidente russo Vladimir Putin concordou com uma trégua mediada pelo presidente bielorrusso Alexander Lukashenko.

Embora a situação pareça ter se acalmado por enquanto, ela representou possivelmente o maior desafio à autoridade de Putin em seus mais de 20 anos no comando.

"Obviamente, isso mostra um nível de fraqueza sem precedentes para o presidente Putin", disse Ian Bremmer, presidente do Eurasia Group, em uma entrevista na CNBC na segunda-feira.

"Mas, ao mesmo tempo, embora Putin tenha sido testado sem precedentes, não houve uma única deserção de alto nível das forças armadas russas, do governo russo ou entre os oligarcas russos - portanto, qualquer pessoa que acredite que Putin esteja subitamente à beira de deixar o poder, também precisa reconhecer que não é assim que estamos", acrescentou.

O Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, sugeriu que a turbulência poderia levar meses para se resolver, mas "vimos mais rachaduras surgirem na fachada russa".

Por enquanto, a reação dos mercados tem sido silenciosa, com o petróleo devolvendo os ganhos anteriores, enquanto o USD/RUB subiu 0,1%, para 84,7668, depois de ter subido anteriormente para uma alta de 15 meses em torno do nível de 87 por dólar.

2. Tesla sob pressão após rebaixamento do Goldman

A Tesla (NASDAQ:TSLA), por muito tempo uma das ações favoritas de Wall Street, está começando a perder um pouco de seu fascínio, reconhecidamente após registrar ganhos impressionantes até agora neste ano.

Goldman Sachs A empresa de consultoria de mercado, Inc., rebaixou sua posição sobre a fabricante de veículos elétricos de "compra" para "neutra", seguindo movimentos semelhantes feitos por empresas como Morgan Stanley e Barclays na semana passada.

Suas ações caíram mais de 1% no pré-mercado, mas isso ocorre após uma alta de mais de 100% desde o início do ano e de 38% no último mês.

O Goldman citou essa avaliação elevada como a principal razão para o rebaixamento, mas também destacou um "ambiente difícil de preços para veículos novos".

No entanto, nem tudo foram más notícias, pois "de modo geral, acreditamos em nossa visão de que a Tesla está bem posicionada para o crescimento de longo prazo, dada sua posição de liderança nos mercados de veículos elétricos e de energia limpa", acrescentou o Goldman.

3. Fraqueza econômica alemã

A confiança dos empresários alemães foi atingida este mês, piorando pelo segundo mês consecutivo em junho, com o amplamente observado Índice Ifo de clima de negócios caindo para 88,5 em junho. Esse valor ficou abaixo dos 90,7 esperados e dos 91,5 do mês anterior, que, por sua vez, foram revisados para baixo.

Esse resultado vem na sequência dos dados decepcionantes da semana passada do PMI, que mostraram a combinação de um aumento mais lento na atividade comercial do setor de serviços e uma desaceleração mais profunda na produção industrial.

A economia alemã, a maior da zona do euro, entrou em recessão no primeiro trimestre do ano e também está tendo que lidar com a inflação, que tem se mostrado mais resistente do que a maioria de seus vizinhos.

Os preços ao consumidor de junho para a região como um todo serão divulgados no final desta semana e, embora se espere que a França, a Itália e, principalmente, a Espanha mostrem uma desaceleração da inflação, o Preços alemães pode ter saltado quase meio ponto percentual para 6,7%.

Isso proporcionará bastante espaço para debate quando as autoridades do Banco Central Europeu, lideradas pela Presidente Christine Lagarde, se reunirem em Portugal na próxima semana para o retiro anual em Sintra.

4. Petróleo volátil após ganhos iniciais inspirados pela Rússia

Os preços do petróleo devolveram a maior parte dos ganhos iniciais na segunda-feira, com os comerciantes tentando equilibrar a segurança da oferta da Rússia, um dos maiores produtores do mundo, com o crescimento global vacilante.

Às 7h53 os futuros do Petróleo WTI Futuros subiam e estavam cotados a US$ 69,47 por barril, enquanto o contrato do Brent subia 0,3%, para US$ 74,35 por barril.

Os mercados estão precificando uma probabilidade moderadamente maior de que a volatilidade doméstica na Rússia leve a interrupções no fornecimento, mas quaisquer ganhos iniciais tiveram vida curta porque as preocupações com a força da demanda nos próximos meses permanecem.

Ambos os índices de referência caíram entre 3% e 4% na semana passada, devido a preocupações de que novos aumentos nas taxas de juros pelo Federal Reserve dos EUA e por outros bancos centrais afetarão a atividade econômica em um momento em que a recuperação econômica da China também decepcionou.

Haitham Al Ghais, Secretário Geral da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, tentou aliviar algumas dessas preocupações com a demanda em uma conferência em Kuala Lumpur na segunda-feira.

"O petróleo é insubstituível em um futuro próximo", disse ele. "Vemos a demanda global de petróleo aumentando para 110 milhões de barris por dia até 2045", elevando a demanda mundial de energia em 23%.

5.  Reforma Tributária brasileira pode elevar em 261% impostos de serviços

O substitutivo da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) da reforma tributária, apresentado na quinta-feira (22) no Congresso Nacional, pode resultar em aumento de impostos em diversos setores do comércio e serviços. A informação é de um estudo da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

No setor de serviços, o aumento pode chegar a 261% para as empresas do Simples Nacional. Os mais prejudicados serão as atividades recreativas e culturais (171%), os serviços pessoais (160%), seleção, agenciamento e locação de mão de obra (157%), serviços de alojamento (153%), e serviços para edifícios e atividades paisagísticas (145%)

O levantamento mostra ainda uma possível alta superior a 100% nos serviços de vigilância, segurança e transporte de valores, serviços de escritório, serviços técnico-profissionais e serviços financeiros, de seguros e previdência complementar.

Às 8h (de Brasília), o ETF EWZ (NYSE:EWZ) recuava 0,27% no pré-mercado.

 

Tese de Investimentos da BRF (BVMF:BRFS3): Qual a perspectiva após aporte da Marfrig (BVMF:MRFG3) e fundo saudita? Assista: 

Últimos comentários

Vc acha que é fácil consertar todas 💩 Que o Rei do 🐂 Fez la atras nos 4 anos de desgoverno!?
Por isso essa reforma está escrito há 2 anos e a mentira pegando... Precisam recuperar a roubalheira que não para nunca.
não pode vir nada de bom de um governo petista, só aumento de cargos, aumento de impostos, aumento de despesas, sempre foram e sempre serão o grande problema deste país.
De governo petista eu só espero roubalheira, única coisa que sempre fizeram, além de reprimir as mídias e aniquilar rivais e adversários políticos (prefeitos, ministros, etc ).
vai estudar história!
 NADA MESMO!! só aumento de cargos PUBLICOS, aumento de impostos, aumento de despesas, loola viajando e gastando absurdos, fazaendo doações para ditaduras Amigas...e outras @#$#%&* que esses S4fados ladroes fazem.
Aprendi nestes últimos tempos que não devo seguir orientações dos chamados gurus da economia, no geral só me ferrei, segui as orientações e na maioria das vezes deu ruim, gastei uma grana com estas acessórias e não deu em nada, como me arrependo..🤡😔
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.