Garanta 40% de desconto
🚨 Os mercados estão em baixa. Descubra ações subvalorizadasDescubra ações agora mesmo

Morde-assopra nos mercados

Publicado 08.02.2024, 09:05
Atualizado 10.01.2024, 08:22

O mesmo motivo que fez o Ibovespa disparar na terça-feira (6), fez desabar ontem. Não, não foi a China. As ações dos bancos roubaram a cena nos últimos dois dias e ditaram o ritmo dos negócios na bolsa brasileira, para o bem e para o mal. Hoje à noite Banco do Brasil (BVMF:BBAS3) encerra a temporada de balanços do setor, mas o destaque desta quinta-feira (8) fica com o relatório de produção e vendas da Petrobras (BVMF:PETR4) e o IPCA de janeiro (9h).

Na China, a deflação persiste. O índice de preços ao consumidor (CPI) registrou a maior queda em mais de 14 anos e a quarta leitura negativa consecutiva, caindo 0,8% em janeiro em base anual, mais que a previsão de -0,5%. O resultado foi puxado pelos preços dos alimentos. Já os preços ao produtor (PPI) cederam pelo décimo sexto mês, em -2,5%.

Os números sugerem mais apoio à economia por parte do governo chinês. Aliás, o esforço de Pequim para estabilizar os mercados contendo as vendas a descoberto e direcionando as compras de fundos estatais surtiu efeito, antes do feriadão chinês. A Bolsa de Xangai teve um terceiro dia de ganhos. O minério de ferro também subiu em Dalian.

Vai entender…

Já no Ocidente, os futuros dos índices das bolsas de Nova York amanheceram na linha d’água, sem uma direção definida. Wall Street ainda tenta explicar porquê os índices Dow Jones e S&P 500 fecharam em novos níveis recordes ontem - não foram os bancos nem a China. Se tivessem sido os comentários de vários membros do Federal Reserve, o desempenho das ações por lá teria sido outro.

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou remova os anúncios .

Afinal, os argumentos para adiar o início dos cortes nos juros dos Estados Unidos são muitos. O mercado de trabalho está saudável, com sinais de pressão vinda dos salários, ao passo que o processo de desinflação está longe de ser o que se tem visto na segunda maior economia do mundo. A atividade norte-americana também resiste.

Ou seja, não parece haver a necessidade de estímulos por parte do Fed. Mas como o desempenho dos mercados globais neste início de ano está oscilando entre afagos e apedrejamentos, é difícil explicar o desempenho dos ativos de risco até aqui. Em algum momento os investidores vão perceber que estão pagando caro demais. Alguém aqui se lembra do que aconteceu com os mercados na volta do carnaval em 2020?

Publicação Original

Últimos comentários

Olívia, tudo indica que o mercado está sendo ditado pela falta de interesse do capital estrangeiro no Brasil este ano. Brasil cai e está a beira de um precipício caso não haja atração através de um esforço fiscal significativo. Com a queda dos juros americanos, aqui, vão sobrar as moscas.
Situações completamente diferentes, né.
Carnaval 2020 início da pandemia
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.