Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Atualize já

Últimas Notícias

FHC anuncia voto em Lula e cita "história de luta pela democracia"

China surpreende e corta taxas de empréstimo após decepção com dados econômicos

Dados Econômicos 15.08.2022 07:35
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. Área empresarial central de Pequim 23/04/2018. REUTERS/Jason Lee

PEQUIM/XANGAI (Reuters) - O banco central chinês cortou as principais taxas de empréstimo em uma ação inesperada nesta segunda-feira para reavivar a demanda, já que dados mostraram que a economia desacelerou inesperadamente em julho, com as atividades industrial e varejista sofrendo com a política de Covid zero e uma crise imobiliária.

O conjunto fraco de números indica que a segunda maior economia do mundo está lutando para se livrar do impacto visto no segundo trimestre das restrições rigorosas contra a Covid, o que levou alguns economistas a rebaixar suas projeções.

A produção industrial cresceu 3,8% em julho em relação ao ano anterior, de acordo com a Agência Nacional de Estatísticas, abaixo da expansão de 3,9% em junho e de aumento de 4,6% esperado por analistas em uma pesquisa da Reuters.

As vendas no varejo, que só voltaram a crescer em junho, aumentaram 2,7% em relação ao ano anterior, contra expectativa de crescimento de 5,0% e alta de 3,1% observada em junho.

"Os dados de julho sugerem que a recuperação pós-lockdown perdeu força, pois o impulso pontual da reabertura diminuiu e os boicotes hipotecários desencadearam uma nova deterioração no setor imobiliário", disse Julian Evans-Pritchard, economista sênior da China na Capital Economics.

"O Banco do Povo da China já está respondendo a esses obstáculos intensificando o suporte... Mas com o crescimento do crédito se mostrando menos responsivo ao afrouxamento da política monetária do que no passado, isso provavelmente não será suficiente para evitar mais fraqueza econômica."

A economia da China escapou por pouco de uma contração no segundo trimestre, abalada pelo fechamento do centro comercial de Xangai, uma retração cada vez mais profunda no mercado imobiliário e gastos do consumidor cada vez mais fracos.

Os riscos ainda existem já que muitas cidades chinesas, incluindo centros manufatureiros e pontos turísticos populares, impuseram medidas de lockdown em julho após novos surtos da variante mais transmissível do coronavírus, a Ômicron.

O setor imobiliário, que sofreu ainda com um boicote hipotecário que pesou sobre o sentimento do comprador, deteriorou-se em julho. O investimento imobiliário caiu 12,3% no mês passado, a taxa mais rápida deste ano, enquanto a queda nas novas vendas se intensificou para 28,9%.

Nie Wen, economista do Hwabao Trust baseado em Xangai, reduziu sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto do terceiro trimestre em 1 ponto percentual, para 4%-4,5%, após os dados mais fracos do que o esperado

O ING também cortou sua estimativa para o crescimento do PIB da China em 2022 para 4%, de 4,4% anteriormente, e advertiu que é possível uma nova redução, dependendo da força das exportações.

ATO DE EQUILÍBRIO

Para apoiar o crescimento, o banco central cortou inesperadamente nesta segunda-feira as taxas de juros dos principais instrumentos de crédito pela segunda vez este ano. Analistas esperam que o corte provavelmente leve a uma redução correspondente nas taxas de empréstimo de referência na próxima semana.

O banco central informou redução de 10 pontos básicos na taxa do instrumento de empréstimo (MLF) de médio prazo de um ano a algumas instituições financeiras, a 2,75%.

Também cortou a taxa de recompra reversa de sete dias pela mesma margem, a 2,0%.

Muitos acreditam que o espaço para que o Banco do Povo da China flexibilize ainda mais a política monetária pode ser limitado pelas preocupações com as saídas de capital, conforme o Federal Reserve outras economias aumentam agressivamente as taxas de juros para combater a inflação.

"Uma demanda de crédito muito lenta em julho, em função do crescimento fraco da atividade, uma deterioração adicional dos indicadores imobiliários e uma inflação ao consumidor menor do que o esperado podem ter contribuído para a mudança do banco central chinês", disseram analistas do Goldman Sachs (NYSE:GS).

As autoridades chinesas estão tentando equilibrar a necessidade de sustentar a recuperação frágil e erradicar novos surtos de Covid-19. Como resultado, a economia não deve atingir sua meta oficial de crescimento este ano - fixada em cerca de 5,5% - pela primeira vez desde 2015.

(Reportagem de Kevin Yao, Stella Qiu, Ellen Zhang, Winni Zhou e redação Pequim)

China surpreende e corta taxas de empréstimo após decepção com dados econômicos
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Hh Ferreira
12_anos_de_exper 15.08.2022 8:21
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Situação tá feia na China. Indústria recuando, varejo minguando, setor imobiliário parando, população com dificuldades para honrar compromissos... É provável uma séria crise financeira mundial no futuro próximo.
Carlos Prhado
Carlos Prhado 15.08.2022 7:47
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
IBOV explode hj
Joel Teixeira
Joel Teixeira 15.08.2022 7:47
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Cuidado pois estes estimulos do Banco Central Chines não tem feito no Ibov subir
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail