Últimas Notícias
Investing Pro 0
🚨 Nossos dados Pro revelam a melhor ação da temporada de balanços Acesse dados

Gustavo Franco: Independência do BC possibilitou juros elevados durante eleição

Dados Econômicos 08.12.2022 16:27
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Jessica Bahia Melo
 
EUR/BRL
-0,07%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
USD/BRL
+0,45%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
BVSP
-0,02%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
WDOc1
+0,43%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
DOLc1
+0,50%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 
WDOc2
+0,49%
Adicionar/Remover de uma Carteira
Adicionar aos favoritos
Adicionar posição

Posição adicionada com êxito a:

Dê um nome à sua carteira de investimento
 

Por Jessica Bahia Melo

Investing.com – Um dia após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central pela manutenção da taxa de juros em 13,75%, o ex-presidente da instituição Gustavo Franco, que é considerado um dos “pais” do Plano Real, afirmou que a independência da autoridade monetária possibilitou que os juros ficassem elevados durante o período eleitoral. Com os efeitos de trade-off de uma política monetária contracionista em busca do controle inflacionário, que tende a frear a economia reduzindo a demanda por meio da restrição ao crédito, há uma dificuldade na conciliação com a atual política fiscal expansionista – que já iniciou com medidas do presidente Jair Bolsonaro (PL). Segundo Franco, o pesadelo de todo Banco Central é o descontrole das finanças públicas.

LEIA MAIS: Irresponsabilidade fiscal pode levar país ao caos, alerta Gustavo Franco

A análise foi feita durante o painel “Política monetária: uma conversa entre ex-banqueiros centrais”, durante o evento Macro Vision, realizado pelo Itaú (BVMF:ITUB4). Além disso, Affonso Celso Pastore, que também já presidiu o Banco Central, participou do debate.

Gustavo Franco ressaltou os progressos, mas ponderou que o Brasil estaria abaixo do grau de independência de economias emergentes. Em relação a uma possível recondução do atual presidente Roberto Campos Neto para mais um mandato, pronunciamentos favoráveis de Lula sobre o dirigente devem depender das próximas decisões do Copom, pois o governo eleito pode enfrentar uma convivência conflituosa. Franco acrescenta que, em março, com definição de mais políticas do governo eleito, deve ocorrer a primeira decisão em que já será possível ver o tamanho do risco fiscal. “Se o panorama em março tiver ruim, Roberto vai ter que subir os juros. Aí vamos ver se vai ter recondução”, destaca.

Affonso Celso Pastore concorda que há uma divergência, hoje, entre a política fiscal e a monetária. “Quando há uma autoridade que só acredita que o crescimento deva vir com gasto público, isso só acentua o conflito. Estou vendo isso na minha frente. Uma das claras consequências está nos prêmios de risco, basta olhar para as curvas de juros”. Pastore completa que a complicação fiscal diminui a probabilidade de que o Copom deva reduzir os juros no ano que vem.

LEIA MAIS: O que esperar da Selic em 2023 e os impactos na Renda Fixa

Taxa de juros neutra

Pastore vê com preocupação sinais de reversão para um modelo anterior que fomenta a alta nas taxas neutras de juros e prejudicam a eficácia da política monetária. Entre as medidas que indicariam cautela, Pastore cita o subsídio por meio de bancos públicos. Para ele, o direcionamento de crédito via BNDES traz benefícios apenas àqueles com lobby mais efetivo.

“A taxa neutra de juros não tem vida própria e não é constante na natureza. Qualquer que seja a estimativa, trabalhando com modelos estruturais do Fundo Monetário Internacional (FMI), quando a taxa neutra está caindo, a NTN-B está caindo, e vice-versa. Todos os períodos de queda de taxa neutra estão associados a algum grau de melhora do controle fiscal e todos os períodos em que isso se reverteu, como no período da Dilma, ela cresceu. Com teto de gastos, a taxa neutra caiu. Mas, os com sucessivos rompimentos do teto, essas taxas estão subindo novamente”, explica Pastore.

Gustavo Franco: Independência do BC possibilitou juros elevados durante eleição
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (7)
Inocêncio da Silva
Inocêncio da Silva 08.12.2022 17:58
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Elegeram novamente o Alivabá agora FAZUÉLI que o Haddad vem ai!
Mathew Newmann
Mathew Newmann 08.12.2022 17:32
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Maior juro real do mundo para sustentar o populismo corrupto do BozoLulismo
Acos Aler
Acos Aler 08.12.2022 17:23
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
PEColão do Lula.
danilo Mayol
danilo Mayol 08.12.2022 17:09
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Se nem assumindo o Lula ja esse estrago. Certeza que vai acabar com a independecia do banco em poucos meses de governo.
Creative Brazil
Creative Brazil 08.12.2022 16:53
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
JÁ COMEÇOU O CHORO? SELIC A 15% LOGO LOGO, COM ESSE GOVERNO DE BANDIDOS.
Andollinni Magalhães
Andollinni Magalhães 08.12.2022 16:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Começaram as desculpas para revogarem a autonomia do BC. Faz o L
08.12.2022 16:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
xama o Chandão.
José Artur Medina
José Artur Medina 08.12.2022 16:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quando a pessoa pouco conhece normalmente fala rebuscado e de forma confusa. Plano Real não teve nenhuma genialidade, teve o óbvio. Uma dona de casa que fosse alçada ao cargo teria reduzido a elevação dos gastos públicos e elevado os juros para conter a inflação. Da mesma forma na Argentina. Alguém acha que o Alberto Fenandez não sabe que deve reduzir gastos e elevar os juros? Trata-se de uma escolha política. Não teve nada de genial o plano real. Eu resolvo a crise inflacionária na Argentina com as seguintes medidas (a dificuldade é política, a luta é entre o povo argentino e aristocracia do serviço publico, essa do judiciário, que qdo pega roubando é aposentada com benefícios) 1) Parar de contratar e de aumentar salários. 2) Elevar os juros (já feito) 3) demitir funcionários que não trabalhem 3) Cortar gastos com obras, saúde e educação (se investimento garantisse um bom serviço o Brasil não esatria onde está) 4) Cortar supersalários 5) Passaralho onde for possível
savyo carvalho
savyo carvalho 08.12.2022 16:41
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Foi genial a criacao da URV e depois a indexacao do Real ao Dolar durante os primeiros 2anos .Aquilo foi uma profunda mudanca na vida das pessoas, elas passaram a ter uma moeda forte e poder consumir. O descontrole fiscal do governo gerou a necessidade de deixar o cambio flutuante .
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail