Garanta 40% de desconto
🚀 Ações escolhidas por IA em alta. PRFT com alta de +55% em 16 dias. Não perca as ações de junho!Acessar lista completa

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Publicado 05.12.2022, 09:34
Atualizado 05.12.2022, 09:50
HK50
-
USD/CNY
-
AAPL
-
LCO
-
ESM24
-
1YMM24
-
NQM24
-
BVSP
-
BOVA11
-
BVSPUSD
-
BVSPEUR
-
2317
-
2354
-
WINc1
-
BTC/USD
-

Por Geoffrey Smith e Jessica Bahia Melo

Investing.com - Os ativos chineses voam à medida que o impulso de reabertura do país aumenta. O petróleo também sobe, depois que a Opep+ deixa as cotas de produção inalteradas com a entrada em vigor do embargo da Europa ao petróleo e produtos russos.

As ações devem abrir em baixa, com a Foxconn (TW:2354), fornecedora da Apple, relatando uma queda de 29% na receita mensal em novembro. A pesquisa não manufatureira do ISM adicionará mais alguns detalhes a um relatório do mercado de trabalho que cheirava a pressões inflacionárias teimosas, e as criptomoedas estendem sua recuperação, apesar das preocupações contínuas sobre a exchange Genesis.

Os ajustes antes da PEC da Transição ir a plenário no Senado brasileiro.

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na segunda-feira, 5 de dezembro.

PESQUISA INTERNACIONAL: Qual foi o desempenho da sua carteira em 2022? Participe

1. Reabertura da China

Os ativos chineses subiram fortemente novamente, elevando os preços das commodities industriais, à medida que mais cidades anunciaram um relaxamento de suas medidas de saúde pública, reforçando a crença de que o país leva a sério a reabertura de sua economia.

O iuan offshore subiu para o nível de 7 em relação ao dólar, atingindo seu nível mais alto em dois meses e meio. Os índices do mercado de ações, principalmente o Hang Seng TECH, subiram novamente, enquanto os preços do petróleo bruto e do minério de ferro subiram acentuadamente, o último também contribuindo para novos ganhos nas ações de mineração.

No fim de semana, Xangai e a vizinha Hangzhou relaxaram suas restrições, enquanto especialistas do Centro Chinês de Controle de Doenças disseram que o país deveria adotar testes rápidos de antígeno e permitir o isolamento domiciliar para pessoas com infecções leves.

CONFIRA: Calendário Econômico do Investing.com

2. Petróleo nas notícias chinesas; embargo russo de petróleo entra em vigor

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados liderados pela Rússia estenderam suas cotas de produção existentes por mais um mês, em um cenário de alta incerteza causada pelo fluxo de notícias contrastantes de várias partes do mundo.

A perspectiva da liberação da demanda reprimida na China ganhou vantagem nas negociações noturnas na Ásia e na Europa, empurrando os contratos futuros de petróleo dos EUA em 2,63%, para US$82,10 o barril, e os futuros do Brent em 2,64%, para US$87,83 o barril em 9h48 (de Brasília).

No entanto, o risco de uma recessão iminente nos EUA e na Europa continua sendo um empecilho para a demanda, enquanto os efeitos de um embargo da União Europeia (UE) às importações de petróleo da Rússia, que entra em vigor na segunda-feira, permanecem incertos. A UE, juntamente com os parceiros do G7, também impôs a proibição do fornecimento de serviços essenciais de transporte e seguro para transportadores de petróleo russo, a menos que o preço da carga seja inferior a US$ 60 o barril. A Rússia repetiu que não venderá a nenhum comprador que cumpra o 'limite' do G7.

CONFIRA: Cotação das principais commodities

3. PEC da Transição tem data para votação no Senado brasileiro e deve ser desidratada

Com a proximidade do prazo final para a votação antes da aprovação do Orçamento de 2023, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Transição tem semana decisiva de negociação e tramitação. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado deve tratar da matéria amanhã e, na quarta-feira, a proposta entra em pauta no Plenário. Por ser uma PEC, a matéria precisa da aprovação de 49 dos 81 senadores em dois turnos. Na Câmara dos Deputados, requer avaliação positiva de 308 dos 513 deputados, também em dois turnos.

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está em Brasília e deve acompanhar pessoalmente as negociações da PEC essa semana. A medida busca retirar do teto de gastos o pagamento do Auxílio Brasil, que deve voltar a se chamar Bolsa Família, além de outras promessas de campanha, como o reajuste do salário-mínimo acima da inflação.

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), quer diminuir a validade da PEC para dois anos e protocolou uma emenda para a mudança, mas ainda há negociação com os partidos.

“Por enquanto, ao que tudo indica, há um consenso para que seja dado um waiver de R$150bi e a renegociação voltaria a ocorrer apenas daqui 2 anos para novo waiver”, acredita a Ativa Investimentos.

CONFIRA: Cotação das ações brasileiras

4. ISM não-manufatureiro, encomendas de bens duráveis nos EUA; queda nas vendas a varejo na zona do euro

O Institute for Supply Management's non-manufacturing (ISM) lançará mais luz sobre a saúde do setor de serviços-chave, após um relatório sobre o mercado de trabalho na sexta-feira mostrou escassez de mão-de-obra, mantendo as pressões inflacionárias muito intactas.

Os analistas esperam que o índice de gerentes de compras do ISM tenha caído de 54,4 para 53,3, um nível que ainda sugeriria uma sólida taxa de expansão. De particular interesse serão os subíndices para emprego e preços, o último dos quais ainda está próximo de um recorde.

Além disso, haverá também os dados de bens duráveis e ordens de fábrica para outubro e o índice do Conference Board de tendências de emprego. Os dados da zona do euro de madrugada foram previsivelmente sombrios, com vendas no varejo da zona do euro caindo 1,8% em outubro e novembro confirmando claramente a área da moeda única em território contracionista.

CONFIRA: Cotação dos principais índices globais

As bolsas de valores americanas estão previstas devem abrir em baixa, após um relatório do mercado de trabalho mais forte do que o esperado para novembro, que proporcionou uma rígida verificação da realidade para aqueles que acreditam em um rápido fim da nas subida das taxas de juros do Federal Reserve.

Às 9h49, Dow Jones futuros caiu 167 pontos, ou 0,48%, enquanto S&P 500 futuros caiu 0,55%, e Nasdaq 100 futuro caiu 0,48%.

As ações que provavelmente estarão em foco mais tarde incluem a Apple (NASDAQ:AAPL), depois que o fabricante do contrato Hon Hai Precision (TW:2317) - ou Foxconn - disse que sua receita caiu 29% em novembro de outubro devido à extrema interrupção de suas operações na chamada Cidade do iPhone em Zhengzhou, onde os trabalhadores se revoltaram contra as condições de fechamento. Os protestos às vezes violentos parecem ter sido um fator-chave para fazer com que Pequim se afastasse da aplicação estrita de sua política de Covid-zero.

A Apple, que foi reportada pelo The Wall Street Journal como estando de olho nos planos de transferir a produção para fora da China no fim de semana, estava estável no pré-mercado.

CONFIRA: Cotação em tempo real das ações dos EUA no pré-mercado

5. A recuperação das criptomoedas se estende apesar das preocupações com a Gênesis

Os preços das criptomoedas foram resistentes nas negociações de fim de semana, apesar das novas revelações e comentários que continuaram a pintar a classe de ativos de uma forma pouco lisonjeira.

O Financial Times relatou que o grupo de negociação de ativos digitais Genesis e sua matriz, Barry Silbert's Digital Currency Group, devem aos clientes da exchange dos gêmeos Gêmeos Winklevoss US$ 900 milhões. Os saques da Genesis e do programa Gemini's Earn, seu principal projeto de empréstimo, foram suspensas por três semanas e há poucos sinais de que a suspensão seja abolida em breve.

Além disso, Sam Bankman-Fried, cuja queda da sua exchange FTX causou o mais recente problema no mercado de criptomoedas, continuou a se pronunciar em entrevistas para o FT e ao WSJ sobre alegações de ignorância sobre o verdadeiro estado de coisas na FTX e sua afiliada do fundo de hedge Alameda Research.

No entanto, pela primeira vez em mais de três semanas, o Bitcoin se fortaleceu acima de US$17.000, enquanto as altcoins também estenderam sua recuperação.

CONFIRA: Cotação das criptomoedas

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.