📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta segunda-feira

Publicado 03.06.2024, 04:56
Atualizado 03.06.2024, 07:59
© Reuters
US500
-
DJI
-
INTC
-
MSFT
-
EWZ
-
GOOGL
-
NVDA
-
AMD
-
LCO
-
CL
-
1YMU24
-
NQU24
-
IXIC
-
IBOV
-
SANB11
-
GOOG
-
US500
-
XPBR31
-

Por Scott Kanowsky e Jessica Bahia Melo

Investing.com – Os futuros das ações dos EUA operavam sem direção única no início de uma nova semana de negociações, com os investidores aguardando um relatório importante sobre o mercado de trabalho no final da semana, que pode influenciar a forma como as autoridades do Federal Reserve (Fed, banco central americano) consideram o futuro da política monetária no país.

Enquanto isso, a Nvidia revela a última geração de seu chip de inteligência artificial crucial, tentando enfrentar a crescente concorrência.

No Brasil, economistas começam a estimar os impactos do desastre no Rio Grande do Sul no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.

Confira agora mais detalhes sobre os assuntos mais importantes do dia no mercado financeiro.

Como saber onde investir para continuar ganhando dinheiro em mercados voláteis? Experimente o InvestingPro e descubra! Clique AQUI, escolha o plano que deseja por 1 ou 2 anos e aproveite seus DESCONTOS. Obtenha até cerca de 50% aplicando o código OFERTAPRO. Não espere mais!

1. Índices futuros americanos sem direção única na expectativa pelo ‘payroll’ na sexta

Os índices futuros das ações dos EUA apresentavam desempenhos mistos no início de um novo mês de negociações, após os três principais benchmarks de Wall Street registrarem altas expressivas em maio.

Às 7h53 (horário de Brasília), o Dow Jones Industrial recuava 0,08%, enquanto o S&P 500 avançava 0,18% e o Nasdaq 100 subia 0,39% no mercado futuro.

Os índices de referência Dow Jones Industrial e S&P 500 fecharam o último dia do mês anterior em alta, enquanto o Nasdaq Composto, focado em tecnologia, teve uma leve queda. Em maio, o Dow aumentou 2,4%, o S&P 500 cresceu 4,8% e o Nasdaq subiu 6,9%.

Na sexta-feira, os investidores analisaram dados econômicos mistos, que indicavam certa persistência da inflação, mas uma desaceleração no consumo. Agora, consideram uma possibilidade quase igual de corte na taxa de juros pelo Fed em setembro, com expectativas aumentadas para outra redução em dezembro.

A expectativa é que o relatório de empregos urbanos (“payroll”) dos EUA, que será divulgado na sexta-feira, demonstre a resiliência do mercado de trabalho apesar das altas taxas de juros, com a criação de 185.000 novos empregos em maio, um leve aumento em relação a abril.

A preocupação dos mercados com uma economia muito robusta, que poderia impedir cortes na taxa de juros ou mesmo exigir elevações, foi parcialmente aliviada em maio com sinais de desaceleração da inflação e da demanda por empregos.

Os responsáveis pela política monetária pediram cautela antes de qualquer redução das taxas, expressando o desejo de ver sinais mais consistentes de que a inflação está convergindo para a meta de 2%. Na segunda-feira, Neel Kashkari, presidente do Fed de Minneapolis, reiterou ao Financial Times que as taxas poderiam permanecer estáveis por um "período prolongado".

No entanto, um relatório de emprego fraco poderia indicar uma desaceleração geral da economia, o que poderia reduzir as pressões inflacionárias.

VEJA: Cotações das ações americanas

2. Nvidia anuncia novo chip focado em inteligência artificial

A Nvidia (NASDAQ:NVDA) revelou sua mais recente linha de chips otimizados para inteligência artificial, em um momento em que a líder de semicondutores busca manter uma frequência anual de novidades para enfrentar a crescente concorrência.

Em um anúncio surpresa no último fim de semana, a companhia californiana apresentou sua nova arquitetura de chip denominada "Rubin", prevista para ser lançada no mercado em 2026, antecipando-se ao lançamento dos processadores "Blackwell" para data centers.

Os chips "Blackwell" estão sendo desenvolvidos pouco mais de um ano após o lançamento da série "Hopper". A Nvidia, que adicionou aproximadamente US$ 350 bilhões ao seu valor de mercado após reportar outro trimestre de lucros robustos, está acelerando para se manter à frente de concorrentes como Advanced Micro Devices (NASDAQ:AMD), Intel (NASDAQ:INTC) e empresas que desenvolvem chips internamente, como Alphabet (NASDAQ:GOOGL) e Microsoft (NASDAQ:MSFT).

No mesmo dia, a AMD também introduziu uma atualização para seu principal chip de IA, o acelerador MI325X, e anunciou a futura série do processador MI350, que estará disponível em 2025.

ENTREVISTA: Com boom da IA, veja os planos da Nvidia no Brasil e na América Latina

3. Setor manufatureiro da China supera expectativas em maio - Caixin PMI

O setor manufatureiro da China registrou um crescimento acima do esperado em maio, segundo o índice dos gerentes de compras (PMI) privado divulgado na segunda-feira, sinalizando uma expansão em alguns segmentos da segunda maior economia global.

O PMI industrial do Caixin alcançou 51,7 em maio, superando as previsões de 51,6 e o resultado de 51,4 do mês anterior. Esse desempenho contrasta fortemente com o PMI oficial divulgado na sexta-feira, que indicou uma contração inesperada do setor industrial chinês.

Diferentemente dos dados oficiais, o PMI do Caixin foca em empresas privadas menores localizadas principalmente no sul da China, enquanto o índice oficial abrange grandes empresas estatais do norte.

O PMI do Caixin cobre um espectro mais restrito de empresas em comparação com o índice oficial. Investidores frequentemente analisam ambos os índices para obterem uma perspectiva mais completa da economia chinesa.

CONFIRA: Calendário Econômico do Investing.com

4. Petróleo volátil após Opep+ estender cortes de produção

Os preços do petróleo mostraram flutuações no mercado nesta segunda-feira pela manhã, após a Opep+ decidir estender os cortes de produção atuais para o próximo ano, um movimento já antecipado pelo mercado.

Os contratos futuros do petróleo Brent para agosto recuavam 0,04%, fixando-se em US$ 81,08 por barril, enquanto os do West Texas Intermediate (WTI) retrocediam 0,1%, para US$ 76,91 por barril.

Ambos os contratos experimentaram quedas de 0,6% a 1% na última semana, influenciados em parte pela preocupação de que taxas de juros mais altas e mantidas por mais tempo possam afetar a demanda nos Estados Unidos, o maior consumidor de petróleo do planeta.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, incluindo a Rússia, coletivamente conhecidos como Opep+, optaram por prorrogar os cortes de produção de cerca de 5,86 milhões de barris por dia até 2025.

Especificamente, manterão 3,6 milhões de bpd de reduções até o final de 2025. Além disso, 2,2 milhões de bpd de cortes serão estendidos por mais três meses até o final de setembro deste ano, e depois serão reduzidos gradualmente de outubro de 2024 até setembro de 2025.

ACOMPANHE: Cotações das commmodities

5. Impactos das chuvas no RS no PIB brasileiro

Economistas começam a calcular os primeiros impactos das fortes chuvas que levaram a mortes e estragos no Rio Grande do Sul, impactando uma série de cadeias produtivas, enquanto aguardam a divulgação do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro do primeiro trimestre nesta semana, que ainda não devem demonstrar o desastre - somente o dado posterior.

Os dados da atividade econômica no segundo trimestre tendem a ser os mais afetados, segundo economistas consultados pelo Estadão. Enquanto isso, o terceiro trimestre pode ser impulsionado com os esforços para a recuperação dos estragos causados no Sul.

Após o ocorrido, o Santander (BVMF:SANB11) cortou a projeção do PIB brasileiro no segundo trimestre de 0,3% para 0,1%, além de elevar a do terceiro trimestre de 0,5% para 0,6%, mencionando impactos mais duradouros para o setor industrial. A XP (BVMF:XPBR31) revisou a estimativa do segundo trimestre de 0,5% para 0,1% e, além da indústria, aponta dificuldades para o setor de serviços e agronegócio.

Às 7h53 (de Brasília), o ETF EWZ (NYSE:EWZ) subia 0,17% no pré-mercado.

*

Precisa de ajuda para navegar nos mercados? InvestingPro é para você!

Seja você busca conquistar orientações sobre investimentos ou procura por ferramentas que permitam escolher as ações corretas do Ibovespa ou dos mercados globais por conta própria, o InvestingPro tem algo a oferecer.

Você encontrará estratégias de IA, indicadores exclusivos, dados financeiros históricos, notícias profissionais e muitos outros serviços para sempre manter uma vantagem nos mercados e saber quais ações comprar e quais evitar.

E os leitores de nossos artigos têm por tempo limitado um desconto especial nas assinaturas. Inscreva-se agora! E não esqueça o código promocional "OFERTAPRO", válido para assinaturas Pro e Pro+ de 1 e 2 anos!

Recursos do InvestingPro - Use o cupom INVESTIR para um desconto adicional



1 ano de InvestingPro

1 ano de InvestingPro+

2 anos de InvestingPro

2 anos de InvestingPro+


Veja como aplicar o cupom no vídeo abaixo:

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.