Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Últimas Notícias

Tesla quer fabricantes chinesas de baterias nos EUA

Dólar tem maior queda em dois anos e meio com exterior e BC

Moedas12.01.2021 17:40
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 
© Reuters. REUTERS/Lee Jae-Won

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - Um forte movimento de realização de lucros ditado pelo exterior levou o dólar à maior queda em dois anos e meio nesta terça-feira, com a moeda devolvendo em apenas um dia mais da metade do ganho acumulado nas primeiras sessões de 2021 e também repercutindo falas de um diretor do Banco Central.

O dólar à vista caiu 3,32%, a 5,3208 reais na venda, na maior baixa percentual diária desde 8 de junho de 2018 (-5,59%). Ao longo da jornada, a cotação oscilou entre 5,4948 reais (-0,15%) e 5,3192 reais (-3,35%).

O real liderou, com folga, os ganhos entre as principais moedas globais, depois de encabeçar as perdas nas últimas sessões. A moeda brasileira era seguida no dia por rublo russo (+1,9%), rand sul-africano (+1,8%), peso mexicano (+1,3%) e dólar australiano (+1%) --divisas de risco e que, portanto, se beneficiam de expectativas de crescimento econômico.

Luciano Rostagno, estrategista-chefe do banco Mizuho, considerou que a maior parte da baixa do dólar nesta sessão veio do exterior, onde a moeda caía de forma generalizada depois de um rali nos primeiros dias do ano. "Existe a perspectiva de mais estímulo global e isso é positivo para mercados e ativos emergentes, como o real", disse.

Na véspera, o dólar havia saltado 1,60%, a 5,5033 reais na venda, maior nível desde 5 de novembro (5,5455 reais). A moeda vinha de alta de 6,01% no ano até segunda-feira, valorização reduzida a 2,49% aos preços desta terça.

O tombo do dólar se deu ainda em meio a declarações do diretor de Política Monetária do Banco Central, Bruno Serra.

Em live, o diretor afirmou que os juros de 2% não são para situações normais no Brasil e que é natural imaginar que o "estímulo extraordinário" que o BC está concedendo à economia via política monetária será retirado de cena em algum momento.

Os comentários vieram no dia em que o IBGE divulgou que a inflação medida pelo IPCA teve em 2020 a maior taxa em quatro anos, ficando acima da meta de 4%.

Uma das discussões no mercado é se o Banco Central poderia ser forçado a antecipar a normalização da política monetária, cujo início está previsto atualmente para agosto, com base em estimativas compiladas pela pesquisa Focus.

O mercado tem avaliado que parte da pressão sobre o real desde o ano passado decorre do baixo nível de juros, com a Selic na mínima histórica de 2% deixando a moeda brasileira como opção barata para hedge ou mesmo como fonte de financiamento.

O próprio diretor Bruno Serra colocou a redução do diferencial de taxas como fator a explicar o patamar atual do dólar, além de incerteza fiscal, mudança nas regras de tributação de hedge e redução da dívida em dólar por parte de algumas empresas.

"Considero que o BC deveria iniciar o processo de normalização monetária em março ou maio, o que deve aliviar, caso não ocorram mais surpresas fiscais negativas, as pressões no câmbio, na inclinação da curva de juros e no gerenciamento da dívida pública", comentou no Twitter Sergio Goldenstein, consultor independente e estrategista na Omninvest Independent Insights e ex-chefe do Departamento de Operações de Mercado Aberto do Banco Central.

"O problema com o real continua. Apesar da elevação recente dos preços das commodities e da melhoria dos termos de troca (vide preço do minério), o desempenho absoluto e relativo continua ruim", acrescentou Goldenstein.

O Barclays (LON:BARC) espera que o BC comece a elevar os juros em agosto, com a Selic fechando o ano em 3,75%, ante os atuais 2%. Mas o banco entende que os números de inflação divulgados mais cedo podem levantar questionamentos sobre a manutenção na próxima semana do forward guidance --orientação futura, segundo a qual não pretende reduzir o grau de estímulo monetário desde que determinadas condições sejam satisfeitas.

O Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne nos dias 19 e 20 de janeiro para decidir sobre o rumo da Selic.

Dólar tem maior queda em dois anos e meio com exterior e BC
 

Artigos Relacionados

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (6)
JRomeu Oliveira
JRomeu Oliveira 12.01.2021 19:37
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Dólar de R$ 5,32 ainda é uma catástrofe. Banco Central queimando as reservas.
Julius Capri
Julius Capri 12.01.2021 19:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Inflação nominal provocada pela desvalorização do dólar e a política pra beneficiar exportadores, pois não houve aumento significativo de demandas, tem nada a ver com atividade econômica essa inflação,é puramente uma estratégia pra beneficiar o agro negócio.
Julius Capri
Julius Capri 12.01.2021 19:13
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Desvalorização do Real.
Mn nov
Mn nov 12.01.2021 18:39
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Até então o estagiário do BC sempre negava que o dólar alto estava sendo muiiiito influenciado pelos juros absurdamente baixos. O que pressionou o IGPM a 26% !
Julius Capri
Julius Capri 12.01.2021 18:39
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Melhor comentário, porque são amadores mesmo, pioraram uma situação já crítica.
Fernando Borelli
Fernando Borelli 12.01.2021 18:22
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Ao meu ver os benefícios da queda de juros quanto à dívida do país já se foram e é necessário iniciar o ajuste para cima.
julio eller
julio eller 12.01.2021 18:16
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Quando a bolsa sobe e dólar cai ninguém lembra da covid
ronaldo lima
ronaldo lima 12.01.2021 17:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Hehehe.. dólar deu aquela subida... fazendo muitos comprarem, e agora terão que vender lá em baixo se não quiserem tomar mais prejuizo. Dolar está mirando 4.70 e 4,00 ainda este ano. esse é o mercado, um monte de gente perde e uma meia dúzia ganha.
JRomeu Oliveira
JRomeu Oliveira 12.01.2021 17:59
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Nostradamus de Carapicuíba.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail