Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta quarta-feira

Publicado 07.09.2022, 08:10
Atualizado 07.09.2022, 09:05
© Reuters.
USD/JPY
-
REP
-
EWZ
-
USD/BRL
-
AAPL
-
PBR
-
LCO
-
ESU24
-
CL
-
1YMU24
-
NQU24
-
VALE
-
DXY
-
AAPL34
-

Por Geoffrey Smith

Investing.com - O iene caiu para uma nova mínima de 24 anos em relação ao dólar, com os números do comércio da China lançando dúvidas sobre as perspectivas econômicas para a Ásia.

O Federal Reserve divulga sua pesquisa do Livro Bege enquanto o Banco da Inglaterra se prepara para lutar por sua independência da nova primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss.

Apple apresenta seu novo iPhone habilitado para 5G e Vladimir Putin critica os EUA.

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na quarta-feira, 7 de setembro, feriado de Dia da Independência no Brasil.

CONFIRA: Calendário Econômico do Investing.com

1. O incrível iene encolhendo

A queda no iene japonês se aprofundou depois que Tóquio alertou sobre movimentos monetários "rápidos e unilaterais" - sem fazer nada para detê-los.

O dólar subiu para uma nova alta de 24 anos de 144,38 ienes depois que os dados mensais da balança comercial da China mostraram uma desaceleração acentuada nas importações e exportações, sugerindo que a desaceleração na demanda global por bens fabricados na China está alimentando a demanda chinesa por bens de capital do Japão.

O dólar agora subiu mais de 31% em relação ao iene nos últimos 12 meses, e o ritmo da queda da moeda japonesa desta semana provocou rumores de intervenção do Banco do Japão, possivelmente em conjunto com outros bancos centrais. No entanto, a Reuters citou o ex-diplomata da moeda japonesa Hiroshi Watanabe dizendo que o Japão não deveria intervir ou mudar a política monetária em resposta, pois seria ineficaz em impedir o avanço do dólar.

LEIA MAIS: Superávit comercial da China encolhe mais do que o esperado em agosto

2. Bancos centrais em alerta novamente

É um grande dia para os bancos centrais em todo o mundo novamente, com o Banco do Canadá e o Banco Nacional da Polônia esperados para aumentar as taxas de juros novamente. O ciclo de alta da taxa da Polônia parece estar chegando ao fim, com a expectativa de que o NBP suba apenas 25 pontos base desta vez, após uma série de maiores nos últimos meses.

No entanto, os analistas esperam um aumento enorme de 75 pontos-base do Banco do Canadá, no que seria um eco da última alta do Federal Reserve e - possivelmente - uma antecipação da ação de amanhã no Banco Central Europeu.

O próprio Fed divulga sua pesquisa Livro Bege, enquanto o MBA divulga números semanais sobre hipotecas e taxas de juros imobiliárias. Haverá discursos cedo de Loretta Mester e Tom Barkin (apenas Mester tem um voto no FOMC este ano), e mais tarde, da vice-presidente do Fed Lael Brainard.

Enquanto isso, no Reino Unido, o presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Andrew Bailey, deve se reunir com o novo chefe do Tesouro, Kwasi Kwarteng, para discutir, entre outras coisas, os planos do BoE de começar a vender Gilts de volta ao mercado - assim como o novo governo da primeira-ministra Liz Truss parece pronta para embarcar em um grande aumento nos empréstimos do governo para financiar seu pacote de energia.

Inflação no Brasil: Expectativa para nova deflação mensal e volta do IPCA anual a um dígito

3. Ações devem ter dia volátil

Os mercados de ações dos EUA apresentavam uma recuperação modesta depois de cair para novas mínimas de dois meses na terça-feira mais cedo. As preocupações estão relacionadas com a desaceleração econômica global e seu impacto nos lucros corporativos, o que fizeram apagar a pequena alta.

Às 08h50, o contrato Dow Jones futuros tinham leve queda de 2 pontos, ou 0,01%, enquanto S&P 500 futuros e Nasdaq 100 futuros recuavam 0,07% e 0,14%, respectivamente.

As ADRs da Petrobras (NYSE:PBR) e da Vale (NYSE:VALE) também recuavam nas negociações de pré-mercado em Wall Street. Os papéis da petrolífera caía 0,36% e da mineradora 0,33%. Ambas as ADRs serão monitoradas por investidores brasileiros em dia de bolsa local fechada, assim como o ETF EWZ, que replica o desempenho das ações brasileiras em Nova York. O ETF caía 0,56%.

A Apple (NASDAQ:AAPL) (BVMF:AAPL34) provavelmente dominará a sessão, com o lançamento do novo iPhone 14, apesar das expectativas de apenas modestas mudanças incrementais em seu design e recursos. Durante a madrugada, a empresa espanhola de petróleo e gás Repsol (BME:REP) disse que venderá 25% de seus negócios de exploração e produção de petróleo para especialistas em energia e infraestrutura EIG, com o objetivo de listar o negócio em Nova York em quatro anos.

4. Europa mira tetos de preços de energia

A Comissão Europeia deve propor um teto para o preço de atacado da eletricidade para a maioria dos tipos de geração, em um esforço para evitar um colapso da indústria europeia durante o inverno.

O Financial Times informou que a Comissão irá propor limitar o preço da energia gerada por outras fontes que não o gás em 200 euros por megawatt-hora quando os ministros de energia da UE se reunirem na sexta-feira. O preço spot atual da eletricidade alemã na Alemanha, a referência regional, está acima de 450 euros/MWh, enquanto os preços franceses atingiram 1.000 euros na semana passada.

Os preços da eletricidade no atacado dispararam porque o gás geralmente é a fonte de energia para a produção marginal de energia, o que determina os preços no atacado. Os preços do gás são cerca de 10 vezes o nível prevalecente nos últimos 10 anos.

{{1178699|CONFIRA: Cotação do preço dos gás natural na Europa}}

5. Os preços do petróleo caem com temor por demanda chinesa

Os preços do petróleo bruto continuaram a ser negociados perto das mínimas de sete meses, uma vez que os últimos dados comerciais da China não fizeram nada para tranquilizar o cenário da demanda global.

Advertências ardentes do presidente da Rússia, Vladimir Putin, de que ele reteria todas as formas de energia russa de países "hostis" só conseguiram aumentar os preços em cerca de meio por cento, seguram a queda.

O contrato futuro do petróleo WTI recuava 0,31% a US$ 86,60 por barril, e do Brent a US$ 92,50 por barril às 09h01.

"Não forneceremos nada se for contrário aos nossos interesses, neste caso [interesses] econômicos", disse Putin em uma conferência no Extremo Oriente da Rússia. "Sem gás, sem petróleo, sem carvão, sem óleo combustível, nada."

O American Petroleum Institute atualizará o equilíbrio de oferta e demanda dos EUA às 17:30, um dia depois do normal devido ao feriado do Dia do Trabalho, que normalmente sinaliza o fim do pico de demanda de verão nos EUA.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.