Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Dia de Copom e Fed e China Reestruturando Dívida

br.investing.com/analysis/dia-de-copom-e-fed-e-china-reestruturando-divida-200444840
Dia de Copom e Fed e China Reestruturando Dívida
Por Julio Hegedus Netto   |  22.09.2021 08:56
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Na China, ao que parece, um amplo programa de reestruturação de dívida está em curso para a Evergrande; no Brasil, o COPOM deve sancionar as expectativas, com elevação da Selic em 1,0 ponto percentual, a 6,25%; nos EUA, tudo irá girar em torno do que será dito por Jerome Powell, em comunicado depois da reunião do FOMC Fed. 

  1. Sobre o imbróglio chinês do mega conglomerado imobiliário Evergrande, ao que parece, um plano de reestruturação da dívida, acima de US$ 300 bilhões, está em elaboração. A unidade principal da empresa, Hengda Real Estate, já deve pagar, junto aos detentores, entre juros de títulos, algo em torno de US$ 119,5 milhões nesta quinta-feira, dia 23. São títulos a vencerem em duas notas do conglomerado, mesmo ainda havendo atrasos nos pagamentos a bancos, fornecedores e detentores de produtos de investimento onshore. 

  2. Há também U$ 83,5 milhões de juros a vencerem neste dia sobre um título em dólares de 5 anos de 8,25%, segundo a Bloomberg. Qualquer pagamento perdido teria um período de 30 dias antes de ser considerado default, de acordo com as cláusulas de títulos. A Evergrande também precisa pagar um cupom de 232 milhões de yuans (US$ 36 milhões) em uma nota onshore neste mesmo dia. Veja abaixo o cronograma de vencimentos de títulos de dívida da empresa. 

  1. Em paralelo, o Banco Popular da China anunciou que irá injetar US$ 18,6 bilhões no sistema bancário, permitindo às instituições, condições para rolar as suas dívidas. 

  2. Na reunião do Copom, Roberto Campos Neto deve sancionar as expectativas do mercado e elevar a Selic a 6,25%. A considerar nesta decisão, ele ter dito que “não mudará seu plano de voo após cada dado de alta frequência que for divulgado”. Ou seja, por aí deve manter a estratégia de ajustes de 1 ponto a cada reunião. 

  3. Expectativas giram em torno dos próximos passos, nas reuniões de outubro e dezembro. A verdade é que preocupa a “contínua deterioração das expectativas de inflação” e o fato de RCN ter alertado repetidamente que “está pronto para fazer o que for preciso para trazer a inflação de volta a sua meta”. O IPCA deste ano, no entanto, já parece dado, entre 9,0% e 10,0%. Desafio maior será no ano que vem, quando é objetivo trazer o IPCA para 3,5% a 4,0%. 

  4. No Congresso, estejamos atentos agora aos imbróglios da PEC dos precatórios. Parece que no acordo de ontem, entre Governo (Guedes), Senado (Rodrigo Pacheco) e Congresso (Arthur Lira), é possível que a dívida judicial acabe “fora do teto dos gastos”. O acordo preliminar é de pagamento de R$ 39 bilhões em 2022, e “um encontro de contas com o saldo restante de R$ 50 bilhões a ser empurrado para 2023”.

  5. Isso, por certo, acabará afetando os interesses de algumas empresas como Petrobrás, bancos públicos e privados e fundos de investimento, com direitos a cobrar a dívida. A maior dívida da União em 2022, nestes precatórias, é junto à Petrobras (SA:PETR4), US$ 2,6 bilhões. A empresa ainda tem outra requisição de R$ 196,6 milhões a vencer. 

  6. Sobre o novo programa do Bolsa Família, do governo Bolsonaro, a expectativa é de que seja possível ter R$ 25 bilhões a mais em 2022, além dos R$ 35 bilhões planejados no Orçamento. Ainda sobrariam R$ 6 bilhões para investimentos e outras ações do governo. Esta é considerado a única “ponte” possível para o governo pavimentar seu caminho rumo a reeleição em outubro de 2022. Ao que parece, este subsídio deve ficar em R$ 300 por pessoa. 

  7. Sobre a reunião do FOMC Fed, há muita expectativa sobre o que será dito por Jerome Powell, depois, no seu comunicado. Será que ele formalizará o início do tapering ou sinalizará o timing para o seu início? Esta é a expectativa a povoar a mente de todos. Em paralelo, seguem as articulações para reconduzir Powell a mais um mandato de quatro anos. Ao que parece, as chances disso acontecer beiram os 90%. 

  8. No Congresso americano, a Câmara aprovou, por 220 votos a favor e 211 contrários, uma medida que mantém o governo com liquidez até dezembro deste ano, suspendendo o limite de endividamento até 2022. O primeiro prazo para o financiamento do governo termina agora no dia 01/out e há temores de que, no Senado, os republicanos imponham obstáculos. Parece provável que os senadores republicanos devem impor aos democratas o ônus de elevar este limite do endividamento. Não votarão e o desgaste será apenas deles. 

  9. Indicadores do OCDE. As expectativas para o crescimento da economia brasileira foram revisadas, para 5,4%. 1,2 ponto percentual a mais do que o previsto há quatro meses. Para 2022, o crescimento foi revisado para 2,3% (-0,2 p.p.). 

MERCADOS

Dia cercado de expectativas, depois dos boatos sobre a reestruturação da dívida da Evergrande. Reuniões do Fed e do Copom também capitalizam as atenções.

No Brasil, o Ibovespa fechou em alta nesta terça-feira (dia 21), depois de cinco quedas seguidas, reagindo aos bons ventos externos e o acordo sobre os precatórios. O índice paulistano subiu 1,29%, a 110.249 pontos, e o dólar recuou 0,81%, a R$ 5,2854.

Nesta madrugada (05h05), dia 22/09, na Ásia, os mercados operaram da seguinte forma. Nikkei -0,67%, a 29.639 pontos; KOSPI, na Coréia do Sul, +0,33%, a 3.140 pontos; Shanghai, +0,40%, a 3.628 pontos, e Hang Seng,+0,51%, a 24.221 pontos.

Nesta madrugada do dia 22/09, na Europa (04h05), nos futuros os mercados operavam em ALTA. DAX (Alemanha) avançando 0,70%, a 15.456 pontos; FTSE 100 (Reino Unido), +1,03%, a 7.052 pontos; CAC 40 (França), +1,04%, a 6.621 pontos, e EuroStoxx50 +0,93%, a 4.135 pontos.

Nos EUA, as bolsas de NY no mercado futuro, operavam às 05h05, dia 22/09, da seguinte forma: Dow Jones avançando 0,40%, a 33.933 pontos, S&P 500, +0,29%, a 4.355 pontos, e Nasdaq +0,22%, a 15.060 pontos. No mercado de Treasuries, US 2Y avançando 0,93%, a 0,2180, US 10Y +0,15%, a 1,326 e US 30Y, +0,19%, a 1,860. No DXY, o dólar avançava 0,05%, a 93,245. Petróleo WTI, a US$ 71,39 (+1,28%) e Petróleo Brent US$ 75,16 (+1,08%). 

Na agenda desta quarta-feira, destaque para as decisões nas reuniões de política monetária do Fed e do Copom. Na quinta-feira temos o Banco da Inglaterra. 

Dia de Copom e Fed e China Reestruturando Dívida
 

Artigos Relacionados

Dia de Copom e Fed e China Reestruturando Dívida

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Declaração de Riscos: Fusion Media would like to remind you that the data contained in this website is not necessarily real-time nor accurate. All CFDs (stocks, indexes, futures) and Forex prices are not provided by exchanges but rather by market makers, and so prices may not be accurate and may differ from the actual market price, meaning prices are indicative and not appropriate for trading purposes. Therefore Fusion Media doesn`t bear any responsibility for any trading losses you might incur as a result of using this data.

Fusion Media or anyone involved with Fusion Media will not accept any liability for loss or damage as a result of reliance on the information including data, quotes, charts and buy/sell signals contained within this website. Please be fully informed regarding the risks and costs associated with trading the financial markets, it is one of the riskiest investment forms possible.
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail