Últimas Notícias
Garanta 40% de desconto 0
👀 Invista igual ao Warren Buffett e lucre +174.3% acima do badalado S&P 500 Aproveite desconto de 40%

Indicadores financeiros em uma outra ótica (Parte 3)

Por Vicente FerreiraAções28.04.2023 06:05
br.investing.com/analysis/indicadores-financeiros-em-uma-outra-otica-parte-3-200456852
Indicadores financeiros em uma outra ótica (Parte 3)
Por Vicente Ferreira   |  28.04.2023 06:05
Salvo. Ver Itens salvos.
Esse artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Conforme prometido, neste último artigo da série, veremos a liquidez por outro aspecto importante: o ciclo operacional, ou seja, a soma do prazo de estocagem e do prazo que a empresa leva para receber de seus clientes. Então, uma empresa que vende à vista e trabalha Just-in-Time, tem ciclo operacional igual a zero. Ou seja, se o ativo circulante de uma empresa é função do tamanho do seu ciclo operacional, sua liquidez corrente também o será. 

Podemos, ainda, estender um pouco mais nossa análise sobre o passivo circulante e imaginarmos que, para a nossa empresa, o único passivo circulante relevante seja a conta fornecedores. Lembrando que as nossas contas a pagar nada mais são que as contas a receber de nossos fornecedores, seu montante dependerá do volume de compras que fazemos e do prazo que levamos para pagá-las. Logo, quão maior o produto entre estas duas grandezas, maior será o passivo circulante

Vejamos então: quão maior for o ciclo operacional, maior será o ativo circulante da empresa. Por outro lado, quão maior for o prazo de pagamento aos fornecedores, maior será o passivo circulante. Então, sabendo que o ciclo financeiro (ou cash gap se você preferir o anglicismo) é a diferença entre o ciclo operacional e o prazo de pagamento de compras, quão maio ele for, maior será a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante e, portanto, maior será a liquidez corrente da empresa. 

Em outras palavras, a principal variável determinante da liquidez corrente é o ciclo financeiro. Assim, empresas que levam mais tempo entre a pagar seus fornecedores e receber de seus clientes (uma outra definição para ciclo financeiro) apresentam maiores índices de liquidez corrente. Sob o enfoque que acabamos de apresentar, a liquidez corrente, de modo diferente do que se costuma apontar como gabarito nas provas de Contabilidade dos concursos, não está relacionada com a capacidade que uma empresa possui de honrar suas dívidas de curto prazo. 

Como uma imagem vale mais que mil palavras, vejamos esquematicamente:

Na figura a seguir você vê o ciclo operacional composto pelo prazo médio de permanência em estoques (PMPE) e o prazo médio de recebimento de vendas (PMRV). Também representei o prazo médio de pagamento de compras (PMPC). Veja que tanto o PMPE quanto o PMPC começam no mesmo instante, ou seja, no momento da compra.

Decorrido o PMPC a empresa paga ao seu fornecedor. Contudo, o recebimento dos clientes só acontece ao final do ciclo operacional. O valor recebido do cliente será aquele pago ao fornecedor acrescido da margem que a empresa ganha na transação. É este lapso temporal entre pagar ao fornecedor e receber do cliente que é o ciclo financeiro.

       

 

Talvez você esteja se perguntando do porquê de tanta inconsistência entre esta visão e a visão tradicional. Na verdade, a melhor explicação está no viés. Ao se colocar na posição de um emprestador, pense em para quem, mantidas todas as outras condições constantes, você preferiria emprestar: para quem possui muito dinheiro parado ou para quem tem pouco dinheiro aplicado e muitas dívidas de curto prazo? 

Observe que, aqui, não se está falando em efetiva capacidade de pagamento, mas, sim, em risco de não pagamento, caso aconteça alguma perturbação no mercado. 

A capacidade de pagamento de um determinado agente econômico decorre do fluxo de caixa livre que ele é capaz de gerar (o que se acredita que ele vá gerar). Por isso, entender o relatório de Fluxo de Caixa de uma empresa é tão importante em uma análise financeira competente, mas isso é tema para outra oportunidade.

O objetivo de compartilhar estas análises (ver parte 1 e parte 2) foi provocar o questionamento sobre algumas “verdades estabelecidas” e provocar alguma reflexão sobre o uso de indicadores financeiros na prática, indo além dos textos básicos, buscando a integração entre a realidade da gestão financeira das empresas e a análise.

Um lembrete final: mais importante para o entendimento da realidade de uma companhia que os seus indicadores financeiros, é como eles variaram no tempo.

 

*Professor do COPPEAD/UFRJ e Diretor do Parque Tecnológico da UFRJ

Indicadores financeiros em uma outra ótica (Parte 3)
 

Artigos Relacionados

Indicadores financeiros em uma outra ótica (Parte 3)

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por esse motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
 
Tem certeza que deseja excluir esse gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar esse comentário

Diga-nos o que achou desse comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail