🚀 Ações escolhidas por IA em alta. PRFT com alta de +55% em 16 dias. Não perca as ações de junho!Acessar lista completa

Ibovespa recua mais de 1% endossado por Wall St; Prio se destaca com alta

Publicado 12.04.2024, 17:04
Atualizado 12.04.2024, 18:10
© Reuters. Fachada da B3, em São Paulo
06/07/2023
REUTERS/Amanda Perobelli
BVSP
-
PRIO3
-

Por Patricia Vilas Boas

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em queda nesta sexta-feira, no menor patamar em mais de quatro meses, na casa dos 125 mil pontos, com pessimismo em Wall Street e aversão global ao risco, enquanto as ações de Prio foram o destaque positivo na sessão.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 1,14%, a 125.946,09 pontos, nível mais baixo de fechamento desde 6 de dezembro. Na máxima do dia, chegou a 127.639,90 pontos. Na mínima, a 125.635,13 pontos.

O volume financeiro somou 23,4 bilhões de reais.

O índice operou de lado durante parte da manhã e chegou a apontar alta na semana, mas perdeu tração e encerrou com recuo semanal de 0,7%.

Na análise de Ângelo Belitardo, gestor da Hike Capital, o desempenho da bolsa brasileira reflete uma semana marcada por dados decepcionantes sobre a inflação nos Estados Unidos.

"Esses dados de inflação piores (do que o esperado) nos EUA fizeram com que a curva de juros aqui no Brasil se estressasse".

As taxas dos DIs fecharam em alta, com a taxa para janeiro de 2025 em 10,075% no final da tarde, ante 10,069% do ajuste anterior, enquanto o retorno do Treasury de 10 anos marcava 4,5196%.

Em Wall Street, os três principais índices acionários também tombaram mais de 1% cada.

"O que a gente tem hoje no mercado é uma sessão clássica de maior aversão ao risco", resumiu o economista Victor Beyruti, da Guide Investimentos.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN (BVMF:PETR4) recuou 0,92%, a 38.94 reais, e PETROBRAS ON (BVMF:PETR3) perdeu 0,81%, a 40,3 reais, sem que os papéis conseguissem se ancorar na alta dos preços do petróleo no exterior. "O papel abriu com 'gap' de alta, e após trinta minutos de pregão começou um movimento vendedor", destacou o analista Alan Soares, da Toro Investimentos. Nesta sexta-feira, após decisão judicial de primeira instância que suspendeu o presidente do conselho de administração da estatal, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse estar confiante de que o chairman da Petrobras, Pietro Mendes, continuará no posto, acreditando em uma reversão da decisão.

- PRIO ON (BVMF:PRIO3) valorizou-se 2,13%, a 50,86 reais, entre as poucas ações no azul ao fim do pregão e com a maior alta percentual do Ibovespa, tendo como pano de fundo decisão arbitral que dá à petroleira direito sobre a totalidade da produção de óleo na concessão Wahoo. Analistas do Citi disseram que a medida deve impulsionar a produção de petróleo da companhia e implicar em menor custo operacional, dado o fim da taxa de movimentação da Wahoo com o navio-plataforma (FPSO) no campo de Frade.

- VALE ON (BVMF:VALE3) teve declínio de 0,37%, a 61,63 reais, na contramão de novo avanço nos contratos futuros de minério de ferro, em meio à perspectiva de demanda mais positiva na China, maior mercado consumidor do minério, e à melhora dos fundamentos no curto prazo. O contrato de setembro do minério de ferro mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian (DCE) da China encerrou a sessão do dia com alta de 3,12%, a 843,5 iuanes (116,57 dólares) a tonelada. A mineradora também informou nesta sexta-feira que realizou as obras de correção de uma anomalia anteriormente identificada em dispositivo de drenagem da barragem Forquilha III, da mina de Fábrica em Ouro Preto (MG).

- ITAÚ UNIBANCO PN (BVMF:ITUB4) recuou 1,04%, a 32,46 reais, enquanto BRADESCO PN (BVMF:BBDC4) perdeu 1,25%, a 14,21 reais, ambos os papéis em seu terceiro dia consecutivo de queda. BANCO DO BRASIL ON (BVMF:BBAS3) encerrou em queda de 1,3%.

- AZUL PN (BVMF:AZUL4) despencou 10,07%, a 11,16 reais, com fatores como estresse da curva de juros, alta do dólar ante o real e aumento dos preços do petróleo no exterior impactando o desempenho das ações de empresas cíclicas, incluindo as do setor aéreo.

© Reuters. Fachada da B3, em São Paulo
06/07/2023
REUTERS/Amanda Perobelli

- JSB ON registrou queda de 0,9%, a 22,1 reais. A produtora de carnes informou que vai investir 150 milhões de reais para duplicar a capacidade de processamento e a força de trabalho de sua unidade Campo Grande II, em Mato Grosso do Sul. Ainda no setor de alimentos, BRF ON (BVMF:BRFS3) caiu 3,85%.

- MULTIPLAN ON (BVMF:MULT3) perdeu 2,65%, a 24,64 reais, apesar de avaliação positiva de analistas do Santander (BVMF:SANB11) sobre o anúncio da operadora de shopping centers na véspera da venda de um terreno adjacente ao RibeirãoShopping, que abrigará um projeto multiuso a ser desenvolvido por um empreendedor local, por 48,4 milhões de reais. Segundo os analistas, o projeto deve aumentar a densidade populacional nos arredores do shopping. O Santander tem preço-alvo de 36 reais para as ações da Multiplan.

- JHSF ON (BVMF:JHSF3), que não faz parte do Ibovespa, afundou 8,1%, a 4,2 reais, depois que o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o embargo das obras em um megacomplexo da empresa em Porto Feliz (SP) após uma ação civil do Ministério Público questionar o fracionamento dos estudos de impactos ambientais de empreendimentos da incorporadora na região. A JHSF disse em fato relevante que está atuando para esclarecer o assunto e tomando as medidas cabíveis ao caso.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.