Últimas Notícias
0
Versão sem anúncios. Atualize sua experiência no Investing.com. Economize até 40% Mais detalhes

Já Está no "Preço"

br.investing.com/analysis/ja-esta-no-preco-200447117
Já Está no "Preço"
Por Julio Hegedus Netto   |  14.01.2022 08:51
Salvo. Ver Itens salvos.
Este artigo já foi salvo nos seus Itens salvos
 

Foi uma semana esclarecedora sobre como deve atuar o Fed neste ano de 2022. Parece ser consenso que deve ser mais hawkish, já iniciando o ciclo de juros em março com três ou quatro elevações do Fed Funds, na intensidade de 0,25 ponto percentual cada. Em 2023 e 2024, novas elevações são previstas, em “sintonia fina” com a atividade, inflação e nível de emprego. 

Seu objetivo: trazer a inflação, atualmente em 7,0%, para o centro da meta, 2,0%, e “normalizar” a política monetária, assim como o ritmo da economia e nível de emprego, próximo ao máximo.  

No Brasil, o IPCA de 2021, a 10%, não trouxe grandes surpresas a não ser pelo fato de que o Banco Central deve também se manter hawkish, para tentar trazer a inflação, ao menos, para o teto do sistema de metas, 5,0%. 

O problema aqui é que com a inflação de 2021 ingressamos na chamada “inflação aberta”, em que as remarcações e a reindexação se aceleram perigosamente. Passa a ser então uma espécie de inflação inercial, com a indexação se disseminando. Em resposta a isso, o Banco Central terá que ser ainda mais rigoroso, elevando a taxa de juros para acima de 11% ao longo deste ano. 

Os mercados parecem cientes deste cenário, não se perturbando tanto. Já “precificaram” as ações do Fed e do Banco Central brasileiro. 

No mercado futuro doméstico, as taxas médias e longas fecharam quinta-feira em queda, acompanhando os recuos dos yelds dos treasuries americanos de 10 anos (em torno de 1,70%). Já o dólar operou próximo da estabilidade, em R$ 5,52, depois de afundar no dia anterior, num movimento global de baixa das moedas dos emergentes. Mesmo assim, a bolsa de tech Nasdaq realizou um forte ajuste no dia, perdendo mais de 2%, impactando no Ibovespa, que perdeu os 106 mil pontos.  

Guedes condiciona aprovação do IR 

O ministro Paulo Guedes segue em reuniões diárias com os servidores, tentando apagar o incêndio, gerado pelo presidente Bolsonaro, ao prometer reajustar os vencimentos da Polícia Federal. Agora, todos querem equiparação salarial, depois de quatro anos de “congelamento”. Comenta-se que esta deve ficar em torno de 26%, segundo algumas categorias do serviço público. Claro que o governo não tem recursos para isso, mas algum agrado pode haver, desde que o IR sobre dividendos seja aprovado no Congresso. 

Diretores do Fed seguem “palpitando”

Charles Evans, do Fed de Chicago, acredita que a inflação, pelo CPI, deve ficar em torno de 2,5% ao fim deste ano, depois de 7,0% em 2021. Isso vai ao encontro da tese de que esta inflação poderia ter sido “transitória”, embora mais persistente. Com a política monetária e a economia se normalizando, haverá uma forte desaceleração do CPI. 

Acha ele que três elevações de juro em 2022 são uma “boa oferta inicial”, mas não descarta a necessidade de quatro, dependendo da velocidade de desaceleração da inflação. Já o balanço do Fed deve ser reduzido mais cedo do que se espera, mas a data permanece em suspense.  

Patrick Harker, do Fed da Filadélfia, acha que a inflação está mais persistente do que o esperado. Acha também que a redução do balanço patrimonial do Fed deve acontecer depois do fim do tapering (em março) e do ciclo de juros. Deve ser ao fim de 2022 ou início de 2023. 

Sobre a pandemia

Cientistas seguem debruçados sobre os dados, querendo saber se os recordes de casos de Ômicron causarão aumento no número de doentes graves, hospitalizações e mortes, como observados nas variantes anteriores. 

É fato para muitos, no entanto, que a vacinação em massa tende a reduzir estes casos. Isso vai de encontro aos ignorantes e negacionistas, que andam propalando por aí que os casos de internação acontecem para vacinados. Não. São inúmeros os casos em que os “não vacinados” são a maioria dos casos de internação e até morte. 

Uma boa notícia é de que o Brasil recebeu o primeiro lote da Pfizer (NYSE:PFE) de vacinas para crianças. Outra boa notícia é a aplicação da primeira vacina brasileira num brasileiro de 34 anos em Salvador, Bahia. A expectativa é de que ainda teremos três meses, necessários para os “testes”, e, ao fim de um ano, entrando em uso. Já a Moderna (NASDAQ:MRNA) está em estudos, esperando ter dados entre 2 e 5 de março para liberar sua vacina para crianças.   

Pode ser uma imagem de texto que diz "Delta; 200 Omicron 100 Hospitalizations Cases"
Pode ser uma imagem de texto que diz

Bancos Centrais no mundo

E os bancos centrais pelo mundo seguem atuando, no objetivo de evitar uma inflação de demanda mais forte, com a reabertura das economias. Na Coreia do Sul, o Banco Central aumentou a taxa de juros de 1,0% para 1,25% em linha com as previsões do mercado. No Japão, o BoJ está com a elevação da taxa de juros no radar, devendo ocorrer neste primeiro semestre. 

INDICADORES

No Brasil

Segundo o IBGE, em novembro o volume de serviços cresceu 2,4% contra outubro. Com isso, o setor se encontra 4,5% acima do nível pré-pandemia (fevereiro de 2020) e no mesmo patamar de dezembro de 2015. Contra novembro de 2020, o volume de serviços avançou 10,0%, nona taxa positiva consecutiva. No acumulado do ano, o volume de serviços avançou 10,9% frente a igual período do ano anterior, e o acumulado nos últimos doze meses (9,5%) alcançou a taxa mais intensa da série iniciada em dezembro de 2012. 

O avanço de 2,4% do volume de serviços de outubro para novembro de 2021 foi acompanhado por quatro das cinco atividades investigadas, com destaque para serviços de informação e comunicação (5,4%). As demais expansões vieram de transportes (1,8%), de serviços prestados às famílias (2,8%) e de outros serviços (2,9%). Em sentido oposto, a única taxa negativa do mês ficou com o setor de serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,3%), sua quarta taxa negativa consecutiva, acumulando perda de 3,7%.

PIB da construção pode ter crescido 8% em 2021, segundo a Sinduscon. Para 2022, a instituição do setor prevê a criação de 110 mil vagas de emprego no setor e PIB crescendo 2,0%. 

Nos EUA

Um movimento de risk-off

Vários ativos deram uma “realizada” ontem, com bolsa de valores em queda, Nasdaq caindo mais, além do barril de petróleo, ouro e o dólar. 

Pode ser uma imagem de em pé e texto
Pode ser uma imagem de em pé e texto

PPI subiu 0,2% em dezembro, contra consenso de 0,4%, com novembro revisado para 1,0% e não 0,8%. O núcleo subiu 0,5%, em novembro tendo chegado a 0,7%. Acabou mais ameno do que muitos esperavam, já que este índice absorve os desbalanceamentos da cadeia produtiva, a falta de insumos e o aumento de custos. 

Pedidos de seguro desemprego subiram 23 mil, a 230 mil na semana, contra previsão de 200 mil. Na semana anterior aumentaram 207 mil. 

Na China

Economia deve crescer 5,5% neste ano. Se confirmado, teremos uma média entre 2020 e 2022 de 5,34%. Tal estimativa é do Centro de Ciências da Projeção, da Academia Chinesa de Ciências. 

MERCADOS

No Brasil, o Ibovespa fechou o pregão do dia 13/01 em leve queda de 0,15%, a 105.529 pontos, e o dólar encerrando o dia em queda de 0,13%, a R$ 5,528. 

Na madrugada do dia 14/01, na Europa (05h12), os mercados futuros operavam em QUEDA: DAX (Alemanha) -0,61%, a 15.933 pontos; FTSE 100 (Reino Unido), -0,25%, a 7.544 pontos; CAC 40 -0,84%, a 7.140 pontos, e EuroStoxx50 -0,91%, a 4.276 pontos.

Na madrugada do dia 14/01, na Ásia (05h11), os mercados operaram em QUEDA (maioria): S&P/ASX (Austrália), -1,08%, a 7.393 pontos; Nikkei (Japão) -1,28%, a 28.124 pontos; KOSPI (Coréia), -1,36%, a 2.921 pontos; Shanghai -0,96%, a 3.521, e Hang Seng, -0,36%, a 24.341 pontos.

No futuro nos EUA, as bolsas de NY, NO MERCADO FUTURO, operavam EM ALTA neste dia 14/01 (05h10): Dow Jones, +0,09%, 36.023 pontos; S&P500 +0,04%, 4.654 pontos, e Nasdaq +0,01%, a 15.496 pontos. No VIX S&P500, 20,40 pontos, -0,08%. 

No mercado de Treasuries, US 2Y AVANÇANDO 2,12%, a 0,9181, US 10Y +0,66%, a 1,720, e US 30Y, +0,37%, a 2,062. No DXY, o dólar -0,08%, a 94,700, e risco país, CDS 5 ANOS, a 208,6 pontos. Petróleo WTI, a US$ 82,25 (+0,16%) e Petróleo Brent US$ 84,79 (+0,38%). Gás Natural -3,07%, a US$ 4,13 e Minério de Ferro, -2,30%, a US$ 722.

Na agenda desta SEXTA-FEIRA (dia 14), estejamos atentos aos dados de varejo, da PMC do IBGE, devendo não trazer resultados tão alvissareiros. No exterior, destaque para as vendas de varejo nos EUA, a última parcial do PIB do Reino Unido e o discurso de Christine Lagarde, do Banco Central Europeu.  

Já Está no "Preço"
 

Artigos Relacionados

Já Está no "Preço"

Adicionar comentário

Diretrizes para Comentários

Nós o incentivamos a usar os comentários para se engajar com os usuários, compartilhar a sua perspectiva e fazer perguntas a autores e entre si. No entanto, a fim de manter o alto nível do discurso que todos nós valorizamos e esperamos, por favor, mantenha os seguintes critérios em mente:

  • Enriqueça a conversa
  • Mantenha-se focado e na linha. Só poste material relevante ao tema a ser discutido.
  • Seja respeitoso. Mesmo opiniões negativas podem ser enquadradas de forma positiva e diplomática.
  • Use estilo de escrita padrão. Incluir pontuação e letras maiúsculas e minúsculas.
  • NOTA: Spam e/ou mensagens promocionais ou links dentro de um comentário serão removidos.
  • Evite palavrões, calúnias, ataques pessoais ou discriminatórios dirigidos a um autor ou outro usuário.
  • Somente serão permitidos comentários em Português.

Os autores de spam ou abuso serão excluídos do site e proibidos de comentar no futuro, a critério do Investing.com

Escreva o que você pensa aqui
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
Postar também no :
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Obrigado pelo seu comentário. Por favor, note que todos os comentários estão automaticamente pendentes, em nosso sistema, até que aprovados por nossos moderadores. Por este motivo, pode demorar algum tempo antes que o mesmo apareça em nosso site.
Comentários (2)
Ricardo Morden
Ricardo Morden 14.01.2022 12:17
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Valeu Júlio, obrigado
Cesar Rs
Cesar Rs 14.01.2022 9:45
Salvo. Ver Itens salvos.
Este comentário já foi salvo nos seus Itens salvos
Parabens pela ótima análise, bem completa e esclarecedora!
 
Tem certeza que deseja excluir este gráfico?
 
Postar
 
Substituir o gráfico anexado por um novo gráfico?
1000
A sua permissão para inserir comentários está atualmente suspensa devido a denúncias feitas por usuários. O seu status será analisado por nossos moderadores.
Aguarde um minuto antes de tentar comentar novamente.
Anexar um gráfico a um comentário
Confirmar bloqueio

Tem certeza de que deseja bloquear %USER_NAME%?

Ao confirmar o bloqueio, você e %USER_NAME% não poderão ver o que cada um de vocês posta no Investing.com.

%USER_NAME% foi adicionado com êxito à sua Lista de bloqueios

Já que acabou de desbloquear esta pessoa, você deve aguardar 48 horas antes de bloqueá-la novamente.

Denunciar este comentário

Diga-nos o que achou deste comentário

Comentário denunciado

Obrigado!

Seu comentário foi enviado aos moderadores para revisão
Cadastre-se com Google
ou
Cadastre-se com o e-mail