📖 Guia da Temporada de Balanços: Saiba as melhores ações escolhidas por IA e lucre no pós-balançoLeia mais

Todos os holofotes se voltam para a decisão do Fed nesta quarta-feira.

Publicado 14.12.2022, 07:57
NDX
-
UK100
-
XAU/USD
-
US500
-
FCHI
-
DJI
-
AXJO
-
DE40
-
ES35
-
IT40
-
JP225
-
HK50
-
FMG
-
RIO
-
AAL
-
ANTO
-
MS
-
GC
-
LCO
-
CL
-
ZS
-
PSI20
-
KS11
-
SSEC
-
STOXX
-
CSI300
-
BTC/USD
-
ETH/USD
-
ADA/USD
-
SOL/USD
-
LUNAt/USD
-

Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: As bolsas asiáticas negociaram em alta na quarta-feira, após um rali em Wall Street estimulado por notícias de que a inflação nos EUA arrefeceu mais do que o esperado no mês passado.

O índice Hang Seng em Hong Kong subiu 0,52%, em 19.698,00 pontos. Na China continental, o Shanghai Composite avançou 0,01%, enquanto o Shenzhen Component caiu 0,02%, em 11.321,81 pontos. Os investidores aguardavam atualizações sobre uma importante reunião de política econômica que teria sido adiada devido a um surto de infecções por Covid.

O Morgan Stanley (NYSE:MS) elevou suas perspectivas para a economia da China em 2023 acima do consenso para 5,4%. Anteriormente tinha definido sua previsão de crescimento para o próximo ano em 5%. “O posicionamento do investidor nos ativos da China ainda é baixo e essa recuperação não está totalmente precificada nos mercados de ações e câmbio”, disse a nota, acrescentando que a revisão reflete uma recuperação na atividade prevista para ocorrer antes do esperado. “Anteriormente, esperávamos que uma recuperação na atividade se materializasse a partir do final do segundo trimestre de 2023. Agora estamos projetando que a mobilidade melhore a partir do início de março”, afirmou. O relatório disse que uma maior flexibilização das restrições provavelmente levará a um aumento significativo nos casos de Covid, embora o banco acredite que o impacto do aumento será de curta duração.

No Japão, o Nikkei subiu 0,72%, para 28.156,21 pontos. O sentimento dos grandes fabricantes do Japão piorou no quarto trimestre, de acordo com a pesquisa trimestral de sentimento empresarial Tankan do Banco do Japão. O índice principal para o sentimento dos grandes fabricantes chegou a 7, uma queda em relação à leitura do trimestre anterior de 8. O índice para as pequenas indústrias melhorou ligeiramente para -2 no quarto trimestre, ante -4 no trimestre anterior. A mesma pesquisa mostrou que as empresas japonesas projetam 2,7% de inflação anualizada em um ano, 2,2% em três anos e 2% em cinco anos. As condições para as não-fabricantes, como o setor de serviços, subiram de 14 para 19, à medida que o Japão suspendeu medidas restritivas contra a pandemia e reabriu para turistas estrangeiros.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 fechou em alta de 0,67%, para 7.251,30 pontos, com as ações de mineração e energia recuperando depois de serem negociadas em baixa na primeira metade da semana. BHP subiu 0,6%, Rio Tinto (LON:RIO) avançou 0,8% e Fortescue Metals (ASX:FMG) adicionou 1,7%. As mineradoras de ouro foram algumas das ações de melhor desempenho do índice no dia, com a Evolution subindo 2,8%, a Newcrest adicionando 2,2% e a Northern Star subindo 1,3%. Entre as produtoras de petróleo, Santos subiu 0,6% e Woodside Energy avançou 1,4%, enquanto o governo debate o que fazer com o aumento do custo dos preços da energia.

O Kospi da Coreia do Sul subiu 1,13%, para 2.399,25 pontos.

O índice MCSI para a região Ásia-Pacífico, exceto Japão, fechou em alta de 1,32%.

O Banco Asiático de Desenvolvimento reduziu suas previsões de crescimento econômico para a região, citando uma perspectiva global pior. A instituição prevê-se que a região tenha um crescimento de 4,2% este ano, de acordo com as estimativas em dezembro, abaixo das previsões de setembro de crescimento de 4,3%. Também reduziu sua perspectiva para 4,6% em 2023, ante estimativas anteriores de 4,9%. Para a economia chinesa, o BAD também reduziu suas projeções de crescimento para 3,0% em 2022, ante projeção anterior de 3,3%. Em 2023, o DAB espera que a economia da China cresça 4,3%, também abaixo das estimativas de setembro de crescimento de 4,5%.

EUROPA: As bolsas europeias operam em baixa na quarta-feira, com os mercados globais digerindo novas leituras de inflação e aguardando a decisão de política monetária do Federal Reserve dos EUA.

O pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,6% no fim do pregão matinal, com as ações de viagens e lazer liderando as perdas.

O alemão DAX 30 cai 0,7%, o francês CAC 40 recua 0,6% e o FTSE MIB da Itália cede 0,4%.

Na Península Ibérica, o IBEX 35 da Espanha e o português PSI 20 caem 0,2% cada.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,3%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American (LON:AAL) cai 1,1%, Antofagasta (LON:ANTO) cai 0,8%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto tombam 1,4% e 1,8%, respectivamente. A petrolífera BP sobe 0,8%.

A inflação do Reino Unido ficou em 10,9% em novembro, abaixo das expectativas em 10,7%, com o arrefecimento dos preços dos combustíveis ajudando a aliviar as pressões inflacionárias, embora os preços de alimentos e energia nas alturas continuem a pressionar as famílias e empresas. Economistas projetavam um aumento anual no índice de preços ao consumidor de 10,9% em novembro, depois que outubro registrou uma alta inesperada para 11,1%, a maior alta em 41 anos. Em termos mensais, o aumento de novembro foi de 0,4%, abaixo dos 2% de outubro e abaixo da estimativa de consenso de 0,6%.

EUA: Os contratos futuros dos índices de ações dos EUA avançam cautelosamente na manhã de quarta-feira, enquanto os investidores aguardam a decisão da reunião de dezembro do Federal Reserve de aumentar a taxa de juros em seu esforço para conter a inflação.

As ações subiram pelo segundo dia durante as negociações regulares na terça-feira, alimentadas por um relatório de inflação mais morna do que o esperado. O índice de preços ao consumidor de novembro ficou em 7,1% no ano, abaixo dos 7,3% esperado por economistas consultados pela Dow Jones. Na base mensal, aumento de 0,1% em relação ao mês anterior também foi menor do que o previsto.

O sinal de que a inflação pode ter atingido o pico foi positivo para as ações, pois significa que o Fed pode estar um passo mais perto de interromper os aumentos das taxas de juros ou alterar os cortes.

Hoje, o banco central concluirá sua reunião de dezembro e apresentará seu último aumento de juros do ano às 16h00 (horário de Brasilia). Os investidores esperam em grande parte um aumento de 50 pontos-base, ou meio ponto percentual, um aumento menor após quatro aumentos consecutivos de 75 pontos-base. Um ponto base é igual a 0,01%

O presidente Jerome Powell falará logo em seguida, às 16h30. Os investidores estarão atentos a pistas sobre o que está por vir do Fed em 2023. Nas reuniões anteriores deste ano, os "traders" se atentaram à linguagem de Powell, interpretando seu tom como "hawkish" ou "dovish".

Após os dados da inflação, o mercado obviamente acredita que haverá um pivô ou uma pausa, mas se Powell falar algo contrário, colocando um cobertor molhado sobre isso, o mercado vai inverter e vender. A reunião do Fed é a última do ano. A próxima reunião do banco central será de 31 de janeiro a 1º de fevereiro de 2023.

O rendimento dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos cruzou brevemente o nível de 3,5% na terça-feira, mas próximo das 7h00 (horário de Brasilia) desta quarta-feira, caia cerca de um ponto-base, para 3,4938%, enquanto a nota do Tesouro de 2 anos, mais sensível à política do Fed, caia mais de quatro-pontos base, para 4,1844%. Enquanto isso, os títulos do Tesouro de prazo mais longo subiam. Os rendimentos e os preços tem uma relação invertida. Um ponto base é igual a 0,01%.

Continuando a agenda econômica, os preços de importação sairá às 10h30, enquanto os estoques semanais de petróleo dos EUA será lançada às 12h30.

CRIPTOMOEDAS: A nuvem negra ainda paira sobre os mercados de criptomoedas, enquanto o investidor cripto ainda reflete a inflação dos EUA que arrefeceu em novembro.

Bankman-Fried, ex-CEo da exchange FTX, foi preso preventivamente, teve a fiança negada e enfrentará uma audiência de extradição em 8 de fevereiro de 2023. A Procuradoria dos EUA do Distrito Sul de Nova York acusou o executivo de cripto por fraude eletrônica e fraude contra valores mobiliários, lavagem de dinheiro, entre outras.

Em um tweet na terça-feira, Changpeng Zhao, o fundador e CEO da Binance, aplaudiu o "teste de estresse" que sua exchange enfrentou para atender os crescentes pedidos de resgate de usuários da plataforma.

Comentando sobre o aumento de preços das criptomoedas na terça-feira, um especialista reforçou cautela alegando que o salto dos principais criptoativos não foi "tão substancial quanto muitos esperavam".

De acordo com Matthew Sigel, chefe de pesquisa de ativos digitais da gestora de investimentos VanEck, apesar dos ativos de riscos aplaudirem o relatório de inflação dos EUA de terça-feira, o Bitcoin pode permanecer sob pressão, já que vários mineradores provavelmente quebrarão, ofuscando a melhoria das condições macroeconômicas. "O Bitcoin testará de US $ 10.000 a US $ 12.000 no 1º trimestre em meio a uma onda de falências de mineradoras, o que marcará o ponto mais baixo do inverno cripto", por conta do aumento dos custos operacionais e a queda dos preços do Bitcoin. Segundo ele, a lucratividade dos mineradores está intimamente ligada ao preço do Bitcoin, uma vez que eles recebem a criptomoeda como recompensa por resolver algoritmos matemáticos complexos para verificar transações na blockchain e que as recompensas recebidas são frequentemente liquidadas para financiar os custos operacionais. Este ano o Bitcoin caiu 61% e isso leva à capitulação dos mineradores, uma situação em que os mineradores fragilizados saem do mercado, vendendo suas reservas e fazendo com que o preço caia ainda mais. Na pior das hipóteses, a capitulação poderia levar a uma espiral da morte.

Segundo Sigel, "com as empresas de mineração de Bitcoin em grande parte sem lucros baseado nos recentes aumentos de preços da eletricidade e os preços mais baixos do Bitcoin, prevemos que muitos mineradores se reestruturarão ou se fundirão". Dados rastreados pela empresa de análise de blockchain Glassnode mostram que o saldo mantido em carteiras pelas mineradoras diminuiu em mais de 25.000 BTC (US $ 444 milhões) desde julho, atingindo uma baixa de 14 meses de 1,818 milhão de Bitcoin.

A VanEck vê o Brasil se tornando um dos países mais amigáveis às criptomoedas do mundo e "tokenizando" uma parte das ofertas de dívida soberana no blockchain.

O Bitcoin sobe mais de 3% nas últimas 24 horas, sendo negociado acima de US $ 17.800, enquanto o Ethereum sobe mais de 4%, sustentando acima de US $ 1.300.

Bitcoin: +3,86% em US $ 17.825,60
Ethereum: +4,55%, em US $ 1.322,77
Cardano: +3,49%
Solana: +7,68%
Terra Classic: +2,79%

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: +0,08%
SP500: +0,08%
NASDAQ: +0,06%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +1,32%
Brent: +0,90%
WTI: +1,03%
Soja: -0,59%
Ouro: -0,32%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Últimos comentários

Carregando o próximo artigo...
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.