Libere dados premium: até 50% de desconto InvestingProGARANTA JÁ SUA OFERTA

Fique por dentro das 5 principais notícias do mercado desta terça-feira

Publicado 22.02.2022, 08:30
© Reuters.
US500
-
USD/RUB
-
HD
-
GE
-
LCO
-
ESU24
-
CL
-
NG
-
1YMU24
-
NQU24
-
M
-
HSBC
-
CZR
-
GPR
-

Por Peter Nurse e Ana Beatriz Bartolo

Investing.com - A decisão do presidente russo Vladimir Putin de reconhecer duas regiões separatistas na Ucrânia e enviar suas tropas está tendo um impacto generalizado. As ações americanas devem abrir em baixa, com os olhos também nos ganhos da Home Depot (NYSE:HD) (SA:HOME34) e da Macy's (NYSE:M) (SA:MACY34). O rublo viu negociações voláteis enquanto os preços do petróleo bruto e do gás natural disparam.

O governo brasileiro pretende lançar uma linha de crédito para ajudar com a inadimplência de PMEs.

Aqui está o que você precisa saber nos mercados financeiros na terça-feira, 22 de fevereiro.

CONFIRA: Calendário Econômico do Investing.com

1. A Rússia se muda para o leste da Ucrânia

As tensões entre o Ocidente e a Rússia tiveram uma escalada dramática na segunda-feira, 21, depois que o presidente russo, Vladimir Putin, reconheceu oficialmente duas autoproclamadas repúblicas no leste da Ucrânia e ordenou que suas forças fossem para as regiões.

Isso ocorre após semanas de concentração de tropas russas na fronteira com a Ucrânia, além de extensos exercícios militares na vizinha Belarus, levando os EUA a alertar que uma invasão da Ucrânia era iminente.

O presidente dos EUA, Joe Biden, prontamente emitiu ordens executivas proibindo o comércio com as duas regiões separatistas, e espera-se que mais sanções contra a Rússia sejam seguidas pelos EUA e seus aliados europeus.

Os investidores agora estão procurando ver se Putin detém suas tropas no leste da Ucrânia, ou se uma invasão de todo o país, incluindo a capital Kiev, está em sua mira. O último movimento certamente resultaria em sanções ainda mais severas do Ocidente, mesmo que algumas nações europeias tenham sido cautelosas com as consequências econômicas que poderiam enfrentar ao penalizar a Rússia, especialmente devido à dependência dela para importações de gás.

As repercussões financeiras da mudança de Putin para a Ucrânia já estão sendo sentidas, com o rublo russo caindo para uma mínima de mais de 15 meses na terça-feira antes de reduzir algumas perdas. Às 09h08, caía 0,31%, a US$ 79,5059, depois de subir para 80,5825 no início do pregão, o nível mais forte do par desde 2 de novembro de 2020.

Ajudando o rublo a sair das mínimas foram os comentários do banco central russo, que disse estar pronto para tomar todas as medidas necessárias para apoiar a estabilidade financeira. O banco central disse que os bancos poderão usar o valor de mercado de ações e títulos em suas carteiras a partir de 18 de fevereiro, ou seja, antes da mudança para a Ucrânia, em relatórios de lucros até outubro.

O JPMorgan também rebaixou sua posição sobre as ações russas para "neutra" de "overweight", esperando novas quedas do mercado de ações em um futuro próximo. A Rússia pode não pagar aos acionistas estrangeiros em caso de sanções severas, acrescentou o banco.

CONFIRA: Cotação das principais taxas de câmbio global

2. Ações americanas devem abrir em baixa devido a preocupações do Leste Europeu

Os mercados de ações dos EUA devem abrir em baixa mais tarde, já que os investidores dos EUA retornam do fim de semana prolongado para tentar digerir a escalada das tensões na Europa Oriental.

Às 09h10, os futuros da Nasdaq recuavam 0,67%, enquanto os da S&P 500 e da Dow Jones caíam 0,24% e 0,33%, respectivamente. O EWZ, principal ETF que mede o desempenho das ações brasileiras, avançava 0,36% no pré-mercado em Wall Street.

A temporada de resultados corporativos está chegando ao fim e pouco menos de 80% das cerca de 400 empresas listadas no S&P 500 superaram as expectativas dos analistas, de acordo com dados da FactSet.

Mais resultados são esperados hoje de empresas como Home Depot e Macy's antes da abertura, e Caesars Entertainment (NASDAQ:CZR) após o fechamento.

Os olhos também estarão na General Electric (NYSE:GE) (SA:GEOO34) depois que as ações do conglomerado caíram nas perdas de sexta-feira após uma perspectiva cautelosa. O HSBC (NYSE:HSBC) (SA:H1SB34) também estará em foco depois que o credor informou que quase dobrou o lucro após impostos do quarto trimestre para US$ 2 bilhões, mas também um encargo de US$ 500 milhões, principalmente devido à sua exposição ao real comercial chinês Estado.

CONFIRA: Cotação em tempo real das ações dos EUA na pré-abertura em Wall Street

3. Crédito para PMEs

O Governo pretende lançar uma linha de crédito por meio de uma Medida Provisória para ajudar na questão da inadimplência. O projeto pretende liberar até R$ 100 bilhões para pequenos empreendedores, micro, pequenas e médias empresas (PMEs).

Previsto para ser lançado após o Carnaval, o objetivo é atender negócios que faturam até R$ 300 milhões por ano. Para isso, seriam usados os fundos garantidores de crédito, já que o Ministério da Economia entende que o valor que não foi utilizado como garantia pode ser reaplicado.

O pacote de crédito deve contemplar a renegociação de dívidas contratadas durante a pandemia e medidas de desburocratização que foram adotadas em 2020 para tomar crédito também devem ser válidas neste programa.

CONFIRA: Cotação das ações brasileiras

4. Confiança do consumidor dos EUA

A lista de dados econômicos nos EUA na terça-feira inclui os números serviços e PMI para fevereiro, que devem mostrar uma ligeira melhora em relação ao mês anterior, e o lançamento da confiança do consumidor, também para fevereiro.

Na Europa, o amplamente seguido Instituto Ifo disse que a moral empresarial alemã melhorou em fevereiro em todos os setores, subindo para 98,9 de 96,0 revisados ​​para cima em janeiro, o nível mais alto desde agosto do ano passado.

"Embora uma leitura tão forte normalmente espalhe otimismo, os desenvolvimentos da Rússia-Ucrânia na noite passada provavelmente tornaram esse importante indicador líder bastante retrógrado", disse o economista do ING Carsten Brzeski, em nota.

5. Os preços do gás natural bruto na Europa disparam

Os preços do petróleo bruto e do gás natural na Europa dispararam com a notícia da entrada de tropas russas no leste da Ucrânia depois que o presidente Vladimir Putin reconheceu oficialmente duas regiões separatistas no leste do país como repúblicas recém-formadas.

A ação da Rússia é uma escalada dramática em seu impasse com o Ocidente sobre a Ucrânia, e um conflito pode ameaçar o fornecimento de gás russo para a Europa, cerca de um terço do qual normalmente viaja por gasodutos que atravessam a Ucrânia. Isso pode levar os países da Europa Ocidental a buscar fontes alternativas de energia, incluindo a compra de petróleo bruto do mercado global.

Além disso, os EUA e seus aliados europeus podem impor sanções à Rússia, com restrições à capacidade de Moscou de negociar em moeda estrangeira, o que provavelmente perturbará os mercados de energia.

CONFIRA: Cotação das principais commodities globais

Às 09h13, os futuros de petróleo nos EUA disparavam 3,82%, a US$ 93,66, enquanto os do Brent subiam 2,41%, a US$ 95,23.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.