Garanta 40% de desconto
🚀 6 ações que subiram +25% no 1º tri selecionadas pela nossa IA. Quais ações vão subir no 2º tri?Não perca a lista completa

Bolsas mundiais digerem ata do Fed que sugeriu novos aumentos de juros

Publicado 17.08.2023, 07:59
Atualizado 11.10.2023, 23:02
Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: Os mercados da Ásia fecharam majoritariamente em baixa na quinta-feira, seguindo o sentimento em Wall Street.

O índice Hang Seng de Hong Kong caiu 0,22%, a quinta sessão consecutiva de baixa, para 18.286,00 pontos, próximo da mínima de 10 semanas.

Na China continental, o Shanghai Composite avançou 0,43%, em 3.163,74 pontos e o Shenzhen Component subiu 0,61%, em 10.644,52 pontos. O JPMorgan (NYSE:JPM) e o Barclays (LON:BARC) reduziram as previsões de crescimento da China em meio aos dados econômicos ruins divulgados recentemente.

O índice Hang Seng caiu mais de 9% este mês e o CSI 300, que acompanha as maiores empresas listadas em Xangai e Shenzhen, caiu cerca de 5%.

O primeiro-ministro da China, Li Qiang, disse na quarta-feira durante uma reunião do Conselho de Estado que o país trabalhará para atingir suas metas econômicas do ano. Seus comentários foram feitos um dia depois que a China divulgou dados decepcionantes para julho, levando alguns economistas a alertar sobre os riscos crescentes de queda da meta de crescimento interno bruto do país de cerca de 5%. Li também disse que esforços devem ser feitos para “combinar organicamente” segurança com desenvolvimento, no contexto da promoção de negócios em geral.

Na Austrália, o S&P/ASX 200 caiu 0,68% para terminar em 7.146,00 pontos, seu nível mais baixo em mais de um mês, com a taxa de desemprego do país subindo ligeiramente para 3,7% em julho, acima dos 3,5% vistos em junho e acima dos 3,6% esperados pelos economistas. A relação emprego/população diminuiu para 64,3% e a taxa de participação caiu para 66,7%. A taxa de emprego foi listada pelo Reserve Bank of Australia como uma das principais métricas que serão consideradas em suas decisões de política monetária. O setor de energia reduziu as perdas para fechar o dia em alta, com as mineradoras de carvão Yancoal e Whitehaven adicionando 1,8% e 1,4%, respectivamente. Entre as produtoras de petróleo, Santos caiu 0,1%, enquanto Woodside Energy avançou 0,2%. As mineradoras estavam entre as empresas mais fracas na bolsa local. As mineradoras de lítio Liontown e Allkem caiu 4,9% e 2,1%, enquanto a mineradora de ouro Evolution enfraqueceu 4,8% depois que relatou uma queda de 49% nos lucros. Entre as gigantes da mineração, Fortescue Metals (ASX:FMG) caiu 0,4%, BHP fechou no zero a zero, enquanto Rio Tinto (LON:RIO) avançou 1%.

O Nikkei do Japão caiu 0,44% para terminar em 31.626,50 pontos, seu nível mais baixo desde junho. O país divulgou que sua balança comercial registrou um déficit em julho, ante um superávit em junho.

O Kospi da Coreia do Sul caiu 0,23% para terminar em 2.519,85 pontos e registrou seu quinto dia consecutivo de perdas.

EUROPA: Os mercados europeus sofrem na quinta-feira, depois que a ata da reunião de julho do Federal Reserve dos EUA mostrou que novos aumentos nas taxas de juros não estavam fora de questão.

O índice Stoxx 600 caem 0,3% no meio do pregão, com ações industriais liderar as perdas, enquanto os mineradores sobem. O índice pan-europeu de blue chips encerrou a sessão de quarta-feira em queda de 0,1%, com os investidores avaliando os números da inflação no Reino Unido junto com os dados do produto interno bruto do segundo trimestre da zona do euro.

O alemão DAX 30 e o CAC 40 da França recuam 0,1% cada.

Em Londres, o FTSE 100 também cai 0,1%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American (LON:AAL) cai 0,9%, Antofagasta (LON:ANTO) perde 0,2%, mas as gigantes BHP e Rio Tinto sobem 0,4% e 1,4%, respectivamente. A petrolífera BP sobe 0,1%.

Os sinais negativos da China divulgados nesta semana sugerem que as empresas europeias com laços estreitos com a segunda maior economia do mundo estão entre as que podem enfrentar mais dificuldades nos próximos meses. Empresas dos setores de mineração, automobilístico, bens de luxo e manufatura de semicondutores e alta tecnologia estão entre mais expostas à China.

EUA: Os futuros dos índices de ações sobem na quinta-feira, com os investidores digerindo o último comentário do Federal Reserve de que futuros aumentos nas taxas estão no radar.

O movimento segue a segunda sessão consecutiva de quedas para os três principais índices, depois a ata da reunião de julho do banco central mostrou que um aperto adicional pode ser necessário para reduzir a inflação. A taxa de fundos federais está atualmente em uma faixa entre 5,25% e 5,5%.

Na sessão regular de quarta-feira, o S&P 500 caiu 0,76%, em 4.404,33 pontos, enquanto o Dow caiu 0,52%, em 34.765,74 pontos. O Composto Nasdaq caiu 1,15%, para 13.474,63 pontos.

As ações tem registrado um agosto difícil, com os principais índices em território negativo no mês.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA negociam mistos na quinta-feira, com os investidores digerindo as atas da última reunião do Federal Reserve, divulgadas na quarta-feira e avaliando as perspectivas para a inflação e as taxas de juros.

Os formuladores de políticas observaram na ata da reunião de julho do Fed que as preocupações com a inflação permanecem e podem levá-los a apertar a política monetária, dependendo do estado da economia, o que significa aumentos adicionais nas taxas, no momento em que muitos investidores esperavam e antecipavam que o aumento de 25 pontos-base da taxa do Fed anunciado na reunião de julho tinha marcado o fim da campanha de aumento de juros do banco central. O Fed tem aumentado as taxas desde o início de 2022 em um esforço para esfriar a economia e trazer a inflação de volta à meta de 2%.

Novos dados de inflação foram divulgados desde a reunião do banco central em julho, apontando um quadro misto. O índice de preços ao consumidor de julho subiu em linha com as expectativas em 0,2% mensalmente, enquanto o índice de preços ao produtor do mês ficou ligeiramente acima das previsões em 0,3% em comparação com o mês anterior.

Na quinta-feira, os investidores estarão atentos ao último relatório semanal de pedidos de auxílio-desemprego, às 9h30, bem como o Índice de manufatura do Fed da Filadélfia.

A temporada de ganhos corporativos segue com varejistas Walmart (NYSE:WMT) e Tapestry relatando antes do sino de abertura e Ross Stores (NASDAQ:ROST) divulgando após o fechamento dos mercados.

CRIPTOMOEDAS: As criptomoedas mergulham nesta quinta-feira, performando movimentos significativos após semanas de inação, com os "traders" vendendo ativos digitais em meio às expectativas de que as taxas de juros permanecerão mais altas por mais tempo do que se pensava.

O Bitcoin cai 2% nas últimas 24 horas, perdendo os US$ 29.000. A maior criptomoeda definhou para US$ 29.000 e US$ 30.000 em uma calmaria de volatilidade historicamente baixa.

Assim como o mercado de ações, onde o Dow Jones Industrial Average e o S&P 500 tiveram dois dias de quedas significativas, o Bitcoin também está se movendo com base em dados econômicos e na ata da última reunião do comitê de política monetária do Federal Reserve.

Os dados econômicos dos EUA divulgados nesta semana, como vendas no varejo, produção industrial e outras métricas, reforçaram a narrativa de uma economia forte. Além disso, a ata divulgada na quarta-feira da decisão de política monetária do Fed em junho confirmou o compromisso contínuo de reduzir a inflação com juros mais altos.

Uma economia forte dá ao Fed pouco incentivo para reduzir as taxas de juros a partir de máximas geracionais, e os investidores também estão cada vez mais antecipando mais aumentos de juros em relação aos níveis atuais. As taxas mais altas desde março de 2022 tem sido uma força chave em ativos sensíveis ao risco, como ações e

O Ethereum, a segunda maior criptomoeda, cai 1,8% para US$ 1.790.

Tokens menores, ou altcoins, também caem, com Cardano e Polygon caindo cerca de 1%. As memecoins seguem fracas, com Dogecoin caindo 3% e Shiba Inu caindo 8%.

Bitcoin: -2,03% em US $ 28.597,60
Ethereum: -1,80% em US $ 1.793,67

ÍNDICES FUTUROS - 7h40:
Dow: +0,13%
S&P 500: +0,17%
NASDAQ: +0,21%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +4,34%
Brent: +0,83%
WTI: +0,85%
Soja: +0,28%
Ouro: -0,09%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Últimos comentários

Bom dia e muito obrigado!
Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.