Garanta 40% de desconto
⚠ Alerta de Balanço! Quais ações estão prontas para disparar?
Veja as ações no nosso radar ProPicks. Essas estratégias subiram 19,7% desde o início do ano.
Não perca a lista completa

Bolsas tentam recuperação à medida que os rendimentos do tesouro dos EUA caem

Publicado 24.10.2023, 08:11
Atualizado 11.10.2023, 23:02
Bem-vindo à sua leitura matinal de cinco minutos de como os mercados estão reagindo ao redor do mundo nesta manhã.

ÁSIA: Os mercados da Ásia recuperaram nesta terça-feira, à medida que os investidores avaliavam leituras de pesquisas do setor privado da atividade empresarial do Japão e da Austrália, bem como o índice de preços ao produtor de Outubro da Coreia do Sul.

O S&P/ASX 200 da Austrália ganhou 0,19%, terminando em 6.856,90 pontos, após três dias consecutivos de perdas. A atividade empresarial da Austrália caiu para o menor nível em 21 meses em outubro, de acordo com estimativas rápidas do Juno Bank. O índice composto de gerentes de compras do país ficou em 47,3, abaixo dos 51,5 do mês anterior. O PMI de manufatura ficou em 48,0, na mínima de seis meses, enquanto o PMI de serviços ficou em 47,6, mínima de 10 meses. O banco descreveu que “a produção foi reduzida em meio à redução de novos pedidos e a uma queda na confiança nas perspectivas de negócios, enquanto as pressões de custos permaneceram elevadas”. As empresas de energia, que se mobilizaram nas últimas semanas devido a preocupações com o fornecimento de petróleo no Oriente Médio, retomaram sua escalada no momento em que Israel parecia adiar uma invasão terrestre mais ampla em Gaza e o Hamas disse que havia libertado mais dois reféns. Ampol subiu 1,2% e Santos adicionou 0,6%. As ações da produtora de terras raras Lynas Rare Earths dispararam 12,4% depois que a empresa disse que sua subsidiária na Malásia foi autorizada a continuar exportando e processando em suas instalações offshore. As empresas de lítio Pilbara Minerals subiu 5,9% e IGO avançou 2,7%, juntamente com os pesos pesado do minério de ferro BHP, Fortescue e Rio Tinto (LON:RIO), que subiram 0,8%, 2,3% e 1,7%, respectivamente.

O Nikkei do Japão subiu 0,2%, para terminar em 31.062,35 pontos, após a primeira contração desde dezembro de 2022 da leitura do PMI Flash de outubro, pela primeira vez desde dezembro de 2022, de acordo com o banco au Jibun. O índice composto de gerentes de compras do país ficou em 49,9, em comparação com 52,1 em setembro. A queda aconteceu principalmente por conta de uma queda mais acentuada na atividade industrial, com o PMI industrial apresentando uma taxa de contração mais rápida de 47,6, contra 48,7 em Setembro. O banco observou que a atividade de serviços permaneceu em expansão, mas cresceu ao ritmo mais fraco do ano até agora “em meio a relatos de deterioração das condições econômicas em Outubro”. O PMI de serviços ficou em 51,1, em comparação com 53,8 em setembro.

O Kospi da Coreia do Sul fechou 1,12% em alta, para 2.383,51, encerrando uma sequência de três dias de perdas. O índice de preços ao produtor da Coreia do Sul subiu 1,3% em termos anuais em Setembro, no ritmo mais rápido do que o ganho de 1% observado em Agosto. Este foi o segundo mês consecutivo de aumento no PPI, depois de ter recuado por 12 meses consecutivos de julho de 2022 a junho e ter permanecido em território de contração até julho. O PPI mede as variações mensais nos preços dos bens ofertados pelos produtores industriais no mercado interno.

Os mercados da China continental também recuperaram, com o o índice Shanghai Composite subindo 0,78%, em 2.962,24 pontos e o índice Shenzhen Component avançando 0,61%, em 9.483,90 pontos, quebrando uma sequência de quatro dias de perdas.

O índice Hang Seng de Hong Kong voltou de um feriado e caiu 1,01%, fechando em 16.999,00 pontos.

EUROPA: Os mercados europeus abriram com volatilidade na terça-feira, com os investidores provavelmente de olho nos dados mais recentes da atividade empresarial da zona euro.

Os dados do PMI de Outubro mostraram que a atividade empresarial sofreu uma queda inesperada, aumentando os receios de uma recessão na zona euro. Os dados flash do HCOB mostraram que o Índice Composto de Gerentes de Compras (PMI) da zona do euro caiu para 46,5 em outubro, abaixo dos 47,2 em setembro. O número é o mais baixo desde novembro de 2020. Excluindo o período da Covid-19, a leitura é a mais baixa desde março de 2013.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,1% após uma abertura ligeiramente otimista e negocia em alta de 0,4% no final da sessão matinal. As ações do setor de mineração lideram os ganhos, enquanto as ações do setor bancário caem, com o Barclays (LON:BARC) liderando o declínio com uma queda de 6% após resultados do terceiro trimestre.

O alemão DAX 30 sobe 0,2% e o francês CAC 40 sobe 0,6%.

Em Londres, o FTSE 100 cai 0,1%. Entre as mineradoras listadas na LSE, Anglo American (JO:AGLJ) sobe 0,9%, Antofagasta (LON:ANTO) sobe 1,1%, enquanto as gigantes BHP e Rio Tinto sobem 0,6% e 1,1%, respectivamente. A petrolífera BP sobe 1,4%.

EUA: Os futuros dos índices de ações dos EUA sobem ligeiramente na manhã de terça-feira, com os investidores se concentrando na próxima lista de balanços das principais empresas de tecnologia.

Spotify (NYSE:SPOT) deve relatar antes do sino de abertura de terça-feira, juntamente com General Motors (NYSE:GM) e Coca-Cola. Alphabet (NASDAQ:GOOGL) e Microsoft (NASDAQ:MSFT) devem divulgar resultados após o fechamento do mercado. Mais para o final de semana, Os investidores continuarão de olho no setor de tecnologia no final da semana, com Meta reportando na quarta-feira e Amazon (NASDAQ:AMZN) na quinta feira. IBM (NYSE:IBM) e Intel (NASDAQ:INTC) estão entre os outros "players" de tecnologia que divulgarão seus resultados trimestrais durante o final da semana.

Os movimentos seguem uma sessão mista em Wall Street, com os investidores continuando observar o rendimento do Tesouro dos EUA de 10 anos, que cruzou na semana passada, o nível de 5% pela primeira vez desde 2007. O aumento dos rendimentos levantou preocupações sobre o estado da economia em geral e pressionou o mercado de ações nas últimas semanas.

Nesta terça-feira, os rendimentos dos Títulos do Tesouro dos EUA moderaram na terça-feira, depois de fechar abaixo de 5%, embora tenham permanecido próximo das máximas de 16 anos. Por volta das 4h00, horário de Brasília, o rendimento da nota do Tesouro de 10 anos caia cerca de 2,4 pontos-base para 4,8145%, enquanto o rendimento dos títulos do Tesouro de 30 anos caia pouco mais de 3 pontos-base para 4,9559%. Os rendimentos se movem inversamente aos preços. Os rendimentos caíram depois que Bill Ackman, da Pershing Square (NYSE:SQ), revelou na segunda-feira que havia coberto sua posição vendida em títulos. Em uma postagem na plataforma de mídia social X, anteriormente conhecida como Twitter, Ackman disse que “há muito risco no mundo para permanecermos em títulos vendidos às taxas atuais de longo prazo”, vinculando a mudança à visão de que os títulos poderiam em breve tornar interessantes como um "porto seguro" com as ações permanecendo voláteis em meio ao risco geopolítico generalizado

O Dow Jones encerrou a sessão de segunda-feira com queda de 0,58%, em 32.936,41 pontos e o S&P 500 caiu 0,17%, em 4.217,04 pontos, mas o Nasdaq Composite, de alta tecnologia, conseguiu terminar em alta de cerca de 0,3%, à medida que os investidores aguardavam relatórios de balanços de importantes empresas do setor.

Cerca de 30% das empresas do S&P 500 deverão apresentar relatórios esta semana, em uma temporada de balanços que até agora tem sido melhor do que Wall Street esperava. Cerca de 17% das empresas do S&P 500 já reportaram lucros e três quartos delas registaram lucros que superaram as expectativas dos analistas, de acordo com a FactSet.

Os mercados também estão enfrentando comentários na semana passada do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. Ele disse que o banco central permanecerá “resoluto” no seu compromisso de reduzir a inflação de forma sustentável para 2% e que provavelmente será necessário um menor crescimento econômico para atingir esse objetivo. O FOMC reunirá no dia 31 de Outubro e anunciará a sua próxima decisão sobre a taxa de juro no dia 1 de Novembro. O comitê do Fed tem mantido as taxas estáveis ​​entre 5,25% e 5,5% na sua reunião de Setembro. Os mercados estão quase certos de que a faixa-alvo dos fundos do Fed permanecerá inalterada na próxima semana, de acordo com a ferramenta FedWatch do CME Group.

Os investidores também acompanharão a agenda econômica. O PMI Flash composto dos EUA será divulgado às 10h34, enquanto o PMI de manufatura de Richmond sairá às 11h00.

CRIPTOMOEDAS: O Bitcoin e outras criptomoedas disparam na terça-feira, à medida que o otimismo continuou a crescer em torno da perspectiva de que um fundo negociado em bolsa de Bitcoin à vista será lançado em breve, marcando um catalisador importante para o mercado cripto que deve ser um suporte de longo prazo para os preços.

O Bitcoin saltou mais de 12% nas últimas 24 horas, para acima de US$ 35.000, em seu ponto mais alto desde maio de 2022. Nos últimos 17 meses, uma série de colapsos de alto nível levou as criptomoedas a um mercado de baixa profundo. O Bitcoin avançou cerca de 30% em 10 dias, ultrapassando uma faixa de negociação em torno de US$ 26.000 que se manteve por quase dois meses em meio a um período de calmaria histórica para os mercados de criptomoedas.

Os touros de criptomoedas estão de olho na possível conversão do Grayscale Bitcoin Trust em um fundo negociado em bolsa (ETF), ou na aprovação de ETFs de Bitcoin à vista que a BlackRock (NYSE:BLK) e outras empresas financeiras solicitaram. O lançamento de ETFs de Bitcoin à vista marcaria um marco para as criptos, com esses fundos mantendo o token em si, em vez de futuros mantidos por fundos existentes.

A possibilidade de um ETF de Bitcoin à vista é aguardado há meses. Espera-se que isso inaugure uma nova onda de interesse de investidores de varejo e institucionais e abra caminho para uma adoção mais ampla de ativos digitais. Mas o lançamento de qualquer ETF de Bitcoin à vista exigirá a aprovação da Comissão de Valores Mobiliários, que tem um histórico de ser dura com as criptomoedas. Embora esses ETFs agora pareçam inevitáveis, ainda pode haver solavancos no caminho.

Btcoin: +12,54% em US $ 35.394,70
Ethereum: +9,25% em US $ 1.827,92

ÍNDICES FUTUROS - 7h20:
Dow: +0,46%
S&P 500: +0,54%
NASDAQ: +0,64%

COMMODITIES:
MinFe Dailan: +3,78%
Brent: +0,31%
WTI: +0,27%
Soja: -0,27%
Ouro: -1,07%

OBSERVAÇÃO: Este material é um trabalho voluntário, independente, resultado da compilação de dados divulgados em diversos sites da internet que são aqui resumidos de maneira didática para facilitar e agilizar a compreensão do leitor. O texto da sessão asiática está no tempo passado, enquanto a europeia e a americana estão no presente devido ao horário em que este relatório é redigido. Atentem-se para o horário de disponibilização dos dados. O texto não é indicação de compra, manutenção ou venda de ativos.

Últimos comentários

Instale nossos aplicativos
Divulgação de riscos: Negociar instrumentos financeiros e/ou criptomoedas envolve riscos elevados, inclusive o risco de perder parte ou todo o valor do investimento, e pode não ser algo indicado e apropriado a todos os investidores. Os preços das criptomoedas são extremamente voláteis e podem ser afetados por fatores externos, como eventos financeiros, regulatórios ou políticos. Negociar com margem aumenta os riscos financeiros.
Antes de decidir operar e negociar instrumentos financeiros ou criptomoedas, você deve se informar completamente sobre os riscos e custos associados a operações e negociações nos mercados financeiros, considerar cuidadosamente seus objetivos de investimento, nível de experiência e apetite de risco; além disso, recomenda-se procurar orientação e conselhos profissionais quando necessário.
A Fusion Media gostaria de lembrar que os dados contidos nesse site não são necessariamente precisos ou atualizados em tempo real. Os dados e preços disponíveis no site não são necessariamente fornecidos por qualquer mercado ou bolsa de valores, mas sim por market makers e, por isso, os preços podem não ser exatos e podem diferir dos preços reais em qualquer mercado, o que significa que são inapropriados para fins de uso em negociações e operações financeiras. A Fusion Media e quaisquer outros colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo não são responsáveis por quaisquer perdas e danos financeiros ou em negociações sofridas como resultado da utilização das informações contidas nesse site.
É proibido utilizar, armazenar, reproduzir, exibir, modificar, transmitir ou distribuir os dados contidos nesse site sem permissão explícita prévia por escrito da Fusion Media e/ou de colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo. Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados aos colaboradores/partes fornecedoras de conteúdo e/ou bolsas de valores que fornecem os dados contidos nesse site.
A Fusion Media pode ser compensada pelos anunciantes que aparecem no site com base na interação dos usuários do site com os anúncios publicitários ou entidades anunciantes.
A versão em inglês deste acordo é a versão principal, a qual prevalece sempre que houver alguma discrepância entre a versão em inglês e a versão em português.
© 2007-2024 - Fusion Media Limited. Todos os direitos reservados.